Gestifute revela documento a 'ilibar' Ronaldo

Declaração da Agência Tributária Espanhola confirma impostos em dia

A Gestifute, empresa do agente Jorge Mendes, revelou hoje um documento da Agência Tributária Espanhola (ATE), que confirma que Cristiano Ronaldo tem a sua situação contributiva no país em dia.

"Na sequência de notícias vindas a público dando conta de alegadas irregularidades nas declarações de rendimentos de Cristiano Ronaldo, vimos divulgar a declaração emitida pela ATE, confirmando que Cristiano Ronaldo se encontra em dia com as suas obrigações fiscais, como sempre esteve em todos os países em que residiu", revelou.

O documento, com data de 30 de novembro, atesta a situação legal de Cristiano Ronaldo em termos contributivos.

Em declaração enviada à Agência Lusa, a Gestifute reitera que Cristiano Ronaldo "sempre esteve e está de boa-fé em todo este processo, como comprova o facto de não estar, nem nunca ter estado, envolvido em nenhum conflito com as autoridades fiscais de qualquer país".

Na quinta-feira, o jornal digital espanhol El Confidencial acusou Cristiano Ronaldo de ter utilizado durante anos uma empresa da Irlanda, com sede em Dublin, a Multisports & Image Management (MIM) Limited, para explorar os seus direitos de imagem e arrecadar os proveitos milionários que obtém com eles.

O jornal espanhol baseou-se em documentos revelados pelo 'site' Football Leaks, aos quais teve acesso e que, alegadamente, demonstram que o internacional português usou aquela empresa irlandesa para acertar as condições e assinar os contratos com as grandes marcas que o escolheram para promover os seus produtos.

De acordo com o Football Leaks, Cristiano Ronaldo terá assinado contratos publicitários e de direitos de imagem com a Nike, Linic, Konami, KFC e Toyota através da citada empresa sediada na Irlanda, com o objetivo de pagar menos impostos, apenas 12,5 por cento dos montantes recebidos, uma percentagem muito baixa comparativamente ao que é prática na zona Euro.

Segundo o El Confidencial, caso o avançado do Real Madrid recebesse os mesmos valores por uma empresa espanhola, teria de pagar 43,5 por cento de impostos.

A empresa portuguesa recorda que atua "sempre com o maior profissionalismo nas relações com clientes e autoridades em todos os países em que desenvolve a sua atividade" e promete acionar judicialmente quem divulgar "informação manipulada, falseada e tendenciosa".

"O objetivo da empresa é o de prestar o melhor aconselhamento possível aos seus clientes, no respeito da legislação vigente em cada país, tal como aconteceu no caso de Cristiano Ronaldo e outros agenciados", sublinha.

A terminar, reitera que as autoridades fiscais europeias têm critérios diferentes em matéria de direitos de imagem, pelo que entende que os clientes estrangeiros se vêm frequentemente afetados por essas diferenças, que a empresa "respeita e cumprem".

"Em todos os casos em que se verificaram divergências com as autoridades sobre os critérios fiscais a aplicar, as mesmas foram resolvidas por acordo, sem necessidade de recurso aos tribunais", concluiu a Gestifute.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG