Frankie Fredericks demite-se por suspeitas de corrupção

O antigo atleta nega estar envolvido "direta ou indiretamente" em qualquer tipo de ato fraudulento

O antigo atleta namibiano Frankie Fredericks, recentemente envolvido em suspeitas de corrupção, demitiu-se esta terça-feira do cargo de presidente da comissão do Comité Olímpico Internacional que avalia as candidaturas aos Jogos de 2024.

"Pedi a demissão do meu cargo de presidente da comissão de avaliação dos Jogos Olímpicos 2024 por entender que o trabalho realizado pelos meus colegas deve ser visto de forma justa e imparcial", disse Fredericks em comunicado.

No documento, Fredericks nega "categoricamente" a implicação "direta ou indireta" em "qualquer conduta inapropriada" e assegura nunca ter violado qualquer conduta ou regra do COI.

O diário francês Le Monde noticiou na semana passada que o ex-atleta namibiano possuía uma sociedade nas ilhas Seicheles na qual, que no mesmo dia em que a cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sede dos Jogos Olímpicos de 2016, foi depositada uma verba de 299.300 dólares (cerca de 283 574 euros).

Segundo o jornal, a verba terá sido depositada pela Pamodzi Sports Consulting, uma empresa gerida por Papa Massata Diack, que se dedica à promoção de programas de marketing desportivo da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

Fredericks considera que as suspeitas de subornos para favorecimento à candidatura brasileira não são apenas contra si, mas "contra a integridade de todo o processo de candidatura e eleição das cidades sede".

"Acredito na integridade do processo de eleição do COI e nunca houve nada que me fizesse duvidar disso. Reitero que nunca estive envolvido em qualquer manipulação de voto, ou qualquer prática ilegal ou inapropriada", refere o comunicado.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG