FPF fala em candidatura "histórica" ao Mundial2030 com a inclusão de Marrocos

Federação Portuguesa de Futebol diz que esta seria a primeira vez que um Mundial iria ser realizado em dois continentes.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) classificou esta quarta-feira a candidatura de Portugal à organização do Mundial2030 de futebol, juntamente com Espanha e Marrocos, como "histórica" e prometeu "clarificar em tempo oportuno" a participação da Ucrânia.

"É uma candidatura histórica, já que pela primeira vez seria realizado um Mundial em dois continentes. A união dos três países vizinhos contribuirá para reforçar os laços entre a Europa e África, bem como todo o Mediterrâneo, e inspirará milhares de jovens de ambos os continentes num projeto comum que tem como eixo fundamental o impacto que o futebol pode ter no desenvolvimento desportivo e social", lê-se numa nota publicada no site oficial da FPF.

O organismo explicou que o acordo entre os três países tem como objetivo "formalizar a candidatura mais forte possível a nível social, desportivo, cultural e de infraestruturas" e adiantou que a decisão já foi comunicada às restantes federações europeias durante a reunião da UEFA, que decorreu à margem do congresso da FIFA, em Kigali, no Ruanda.

"A candidatura foi recebida de forma muito positiva", garantiu a FPF, adiantado que a entrada da Marrocos "não diminui o número de sedes que corresponderão a Espanha e Portugal".

Em outubro no ano passado, foi anunciado pelo organismo federativo português e pelo espanhol (RFEF) que a Ucrânia iria incorporar a candidatura ibérica, situação que a FPF promete clarificar "em tempo oportuno".

Em causa, está a situação que o país atravessa, como a invasão da Rússia, bem como o papel do presidente da Federação Ucraniana de Futebol, Andriy Pavelko, que está atualmente suspenso das suas funções.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG