Final da Champions pode ser no Estádio do Dragão

O jornal The New York Times noticia os receios da UEFA em manter o jogo em Istambul, depois de Inglaterra desaconselhar viagens para a Turquia, por causa da pandemia, e ter pedido para mudar jogo para o país dos finalistas.

A UEFA está a estudar alternativas a Istambul (Turquia) para receber a final da Liga dos Campeões e o Porto é uma hipótese, caso não possa ser concretizada a vontade inglesa de levar o jogo para Londres. A decisão será anunciada em 48 horas e, segundo o The New York Times, Portugal já se disponibilizou para voltar a receber a Champions, tal como no verão passado.

O Estádio da Dragão viu a recalendarização das finais da UEFA, por via da pandemia, roubar-lhe a Supertaça Europeia de 2020, com o organismo europeu a prometer considerar o recinto novamente. Agora surge assim como alternativa para receber o jogo entre o Manchester City e o Chelsea, no dia 29 de maio.

A possibilidade foi noticiada este domingo pelo The New York Times, depois das autoridades britânicas terem proposta à UEFA que a final fosse em Inglaterra, visto ser entre duas equipas inglesas e a Inglaterra desaconselhar viagens para a Turquia. E segundo o jornal norte-americano, a final, inicialmente agendada para o Estádio Olímpico Atatürk, em Istambul, pode assim ser em Londres ou, em alternativa, no Porto.

O Dragão é "alternativa, que será considerada", caso a UEFA não opte pela capital britânica. "Portugal comunicou à UEFA que também poderiam receber a final, talvez no Porto, depois de o governo britânico ter incluído Portugal na lista de países para os quais os seus cidadãos podem viajar sem ter de ficar em quarentena no regresso", pode ler-se no NYT.

A confirmar-se será a terceira vez, a segunda vez seguida, depois da final do ano passado no Estádio da Luz (ganha pelo Bayern Munique), que Portugal recebe o jogo mais importante da prova rainha da UEFA.

A final da Champions em Lisboa no verão levou o organismo a mudar a Supertaça europeia prevista para o Dragão para Budapeste. A decisão não agradou ao autarca do Porto, que acusou a UEFA de mentir e usar a pandemia como desculpa.

Rui Moreira ameaçou recorrer à justiça para reclamar os prejuízos causados pela decisão da UEFA de não realizar o Bayern Munique-Sevilha no Porto. "Não nos dizem nada, romperam um acordo pré-contratual de um contrato que está em vigor e pior dizem que é por causa da pandemia. (...) Não me consta que em Budapeste não haja pandemia", disse o autarca, lamentando "o desrespeito" e a forma como o processo foi conduzido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG