Rui Pedro acordou o Dragão, 520 minutos depois

Aos 90+5 minutos, Rui Pedro acabou com a seca de golos do FC Porto e derrubou a "muralha" chamada Marafona

O FC Porto venceu o Sporting de Braga, por 1-0, no Estádio do Dragão, e terminou com a maior seca de golos da história do clube, de forma dramática.

Foi aos 90+5 minutos que Rui Pedro, de 18 anos, na sua estreia na I Liga, conseguiu bater Marafona, autor de uma exibição "monstruosa" no Dragão.

O guarda-redes fez duas mãos cheias de defesas de enorme dificuldade no Dragão, inclusive aos 35 minutos, quando parou um penálti de André Silva, após expulsão de Artur Jorge.

Com 10 unidades, o Sp. Braga limitou-se a defender no Dragão, mas aos 90+5 minutos, 30 remates depois, Diogo Jota assistiu Rui Pedro e o avançado fez o resto, com um audaz "chapéu" ao guarda-redes.

Com este triunfo, o FC Porto isola-se no 3.º lugar, com 25 pontos, a dois do Sporting e a quatro do Benfica. O Sp. Braga cai para 4.º, com 21 pontos, e pode ser "apanhado" pelo rival Vitória de Guimarães.

Filme do jogo:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.