Casillas tenta 17.º apuramento e desta vez sem o carrasco Slimani

Espanhol só falhou uma vez os oitavos-de-final da Champions, onde é recordista de jogos. Argelino que lhe marcou seis golos em quatro jogos está de fora tal como Vardy e Mahrez

Caso o FC Porto se apure hoje para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, os dragões atingem esta fase da prova milionária pela 12.ª vez desde o novo formato com fase de grupos, criado em 1992. Mas no plantel dos dragões há um jogador que vai continuar a fazer história: Iker Casillas, o futebolista com mais jogos na história da Champions (162, a contar já com o de hoje com o Leicester), atingirá os oitavos-de-final da competição pela 17.ª vez na sua carreira.

Só para se ter uma noção da dimensão deste feito do guarda-redes espanhol, os jogadores do FC Porto com mais presenças em jogos da Champions todos juntos não chegam aos números de Casillas - Maxi Pereira (43), Silvestre Varela (27), Óliver (24), Herrera (20), Brahimi (16), Adrián López (15) e Danilo (11). No ranking de sempre, o segundo lugar pertence a Xavi (ex-Barcelona, 151 jogos) e a fechar o pódio está Rául González (ex-Real Madrid, 142). A marca do guardião espanhol, porém, deverá ser superada mais ano menos ano por Cristiano Ronaldo e Messi - o português leva 132 na Champions e o argentino 110.

Os 17 anos passados no Real Madrid explicam esta história de sucesso, pois no clube da capital espanhola, entre as épocas 1999/2000 e 2014/15, passou sempre a fase de grupos e chegou a vencer três vezes a Liga dos Campeões (2000, 2002 e 2014). A única exceção (falhar acesso aos oitavos-de-final) aconteceu a época passada, já ao serviço do FC Porto, com os dragões a caírem na fase de grupos e a permitirem ao espanhol estrear-se na... Liga Europa.

O percurso europeu a nível de clubes de Iker Casillas começou em setembro de 1999. Então com 18 anos, o guarda-redes aproveitou a lesão do alemão Bodo Illgner e foi lançado por John Toshack num jogo frente ao Olympiacos, que terminou empatado a três golos - tinha-se estreado dias antes na baliza do Real Madrid numa partida frente ao Ath. Bilbau (2-2).

Dois anos antes já tinha sido convocado por Jupp Heynckes para uma partida da Champions diante do Rosenborg, pois o Real Madrid não tinha um suplente para Santiago Cañizares. Mas não saiu do banco de suplentes.

Nos 161 jogos já disputados na Champions, Casillas participou em 93 vitórias, empatou em 32 ocasiões e perdeu 36. Pelo FC Porto, a época passada e na presente, somou cinco vitórias. Um novo triunfo esta noite abre-lhe então as portas dos oitavos pela 17.ª vez.

Desta vez não há Slimani

Casillas falou ontem em conferência de imprensa antes de saber que Slimani... não estava convocado (Schmeichel, lesionado, Vardy e Mahrez também não integram a convocatória, anunciou Claudio Ranieri). A pergunta era obrigatória, pois o argelino soma seis golos frente ao espanhol em quatro jogos - cinco pelo Sporting e um pelo Leicester. "É verdade, tem marcado ao FC Porto. É um bom jogador, tem demonstrado isso sempre que joga. Mas se ele marcar e o FC Porto ganhar, encantado...", atirou.

Garantindo que se sente muito bem no clube - "acolheu-me muito bem e, como somos humanos, precisamos sempre de um período de adaptação" -, Casillas preferiu destacar o coletivo. "Pessoalmente, as coisas estão a correr bem, mas é a nível coletivo que eu quero que funcionem. Quero ver um FC Porto como uma equipa de referência não só em Portugal, mas também na Europa", referiu, lembrando que "uma vitória basta" e que "o FC Porto ganhou o direito de apenas depender de si para seguir para os oitavos-de-final."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG