Casillas passa a ser o recordista de jogos nas provas da UEFA

Guarda-redes atinge hoje o jogo 175 nas competições europeias. Zahovic esteve na estreia, em 1999, e marcou ao espanhol. "Foi um grande golo", conta ao DN

Iker Casillas vai tornar-se esta noite, em Turim, no futebolista com mais jogos disputados em provas organizadas pela UEFA. O guarda--redes do FC Porto atinge a 175.ª partida, distribuídas por Liga dos Campeões, Liga Europa, Supertaça Europeia e Taça Intercontinental - esta última entra nestas contas do organismo que dirige o futebol europeu por ter sido uma competição que co-organizou em conjunto com a confederação sul-americana (CONMEBOL).

A Juventus vai apadrinhar mais uma marca atingida por um dos melhores guarda-redes do milénio, que se estreou em competições europeias a 15 de setembro de 1999, numa partida com o Olympiacos, a contar para a primeira jornada da fase de grupos da Champions. Na altura, Casillas tinha apenas 19 anos e foi lançado no Real Madrid pelo treinador galês John Toshack. O resultado não foi animador, pois os merengues empataram 3-3 na deslocação ao Estádio Georgios Karaiskakis, em Atenas.

Curiosamente, o terceiro golo dos gregos foi apontado pelo esloveno Zlatko Zahovic, que no início dessa época 1999/2000 trocara o FC Porto pelo Olympiacos. "Lembro-me bem, foi um grande golo. Recebi a bola de costas para a baliza, rodei e chutei rasteiro sem hipótese para o Casillas", recorda o antigo médio, que representou os dragões entre 1996 e 1999.

Antes, já o brasileiro Giovanni (ex-Barcelona) havia bisado, tendo Raúl, outro histórico do Real Madrid, salvo os espanhóis da derrota com o golo do empate aos 80 minutos, num jogo que não sai da memória de Zahovic pelo ambiente que o rodeou. "Pela loucura no estádio, com os nossos adeptos fanáticos a darem-nos uma grande ajuda, mas também pelo golo a uma grande equipa mundial", conta o esloveno de 46 anos, que na altura não imaginava que Casillas se iria tornar num mito das balizas mundiais: "Não imaginava que iria chegar onde chegou, mas a verdade é que um guarda-redes que seja titular de um clube como o Real Madrid tem grandes possibilidades de ter o destino que ele teve."

Casillas deixa hoje para trás a companhia do italiano Paolo Malidini (174) no topo da lista de jogadores com mais jogos nas competições da UEFA. Outro espanhol, Xavi, completa o pódio, com 173. O português Cristiano Ronaldo fecha o top-10, com 147 jogos.

"Há esperança", diz Zahovic

Zahovic vai acompanhar a partida desta noite, em Turim, entre a Juventus e o FC Porto, na qual a equipa treinada por Nuno Espírito Santo terá de dar a volta a uma desvantagem de 0-2, que leva da primeira mão. O esloveno considera que "será muito difícil" aos portistas darem a volta à eliminatória, até porque, em sua opinião, "a Juventus é uma das melhores equipas da Europa". "São muito organizados e beneficiam de terem uma grande estabilidade, com um conjunto de jogadores que jogam há muitos anos juntos", sublinha, lembrando que, a juntar àqueles que têm muitos anos de casa, "contrata sempre futebolistas de grande qualidade".

Apesar de considerar a Juventus "uma das candidatas a conquistar a Liga dos Campeões" deste ano, Zlatko Zahovic não dá já a eliminatória como perdida para o FC Porto. "No futebol tudo é possível", assume, lembrando que neste tipo de confrontos "às vezes os acontecimentos podem ser favoráveis" e, dessa forma, o rumo das coisas pode alterar-se. "Há sempre esperança quando se entra para o campo. Em 90 minutos, muito pode acontecer e um golo do FC Porto pode tornar tudo imprevisível e a eliminatória fica em aberto", explica, admitindo que para a surpresa se concretizar "é fundamental marcar primeiro".

A história não é favorável ao FC Porto neste jogo, pois nas oito eliminatórias em que uma equipa portuguesa perdeu 0-2 em casa na primeira mão, só por uma vez conseguiu o apuramento: foi o Sporting, no play-off de acesso à fase de grupos da Liga Europa de 2010/11, que foi à Dinamarca vencer o Brondby por 3-0.

De resto, esta é apenas a segunda vez que os portistas se encontram nesta situação. A anterior foi diante do Nantes, na 1.ª eliminatória da Taça das Taças de 1971/72, tendo arrancado um empate 1-1 em França, que não evitou a eliminação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG