Fabio Capello: "O título de Portugal foi justo e já o mereciam no Euro2004"

Em entrevista, italiano falou ao DN sobre o recente Campeonato da Europa, de Cristiano Ronaldo e também de José Mourinho. Afastado dos bancos há um ano, continua a acompanhar o futebol de perto e também elogia o comportamento recente das equipas portuguesas nas provas europeias

Está afastado há cerca de um ano do futebol, depois de ter deixado o comando técnico da seleção da Rússia. Como passa agora os dias?

Tento aproveitar ao máximo o tempo com a família, mas é claro que o futebol continua a ser uma parte muito importante. Seja a estudar, a participar em programas ou mesmo a dar palestras. O futebol corre no meu sangue, é difícil passar algumas horas sem pensar nisso.

Pensa então regressar em breve?

Não estou com pressa. Já trabalhei muitos anos seguidos no futebol, e de vez em quando também é bom parar. Dá tempo para ver o futebol do outro lado, de me divertir, de fazer outras coisas. Agora estou a aproveitar tudo isso e a família também me pede para estar mais presente. Passei tantos anos separado deles que agora também sabe bem estar em casa. Mas o futebol continua a ser a minha vida.

Esteve certamente atento ao último Campeonato da Europa. Partilha da opinião daqueles que não valorizaram a conquista de Portugal?

Penso que se pode dizer que Portugal inicialmente não foi uma seleção que convenceu, foi avançando sem grande classe. Mas acima de tudo foi uma equipa com muita humildade e outras seleções subestimaram a seleção portuguesa. Criticavam a sua forma de jogar e depois não ganhavam.

Qual acha que foi então o segredo do sucesso português?

A união, não tenho dúvidas. O estilo de jogo lembrava-me o de Itália, exercendo uma grande pressão sobre o adversário, não permitindo que estes pudessem dar o seu melhor. Depois tinham jogadores como Cristiano Ronaldo e outros que resolviam num lance ou outro.

Considera que o título foi justo?

Claro. Não perderam nenhum jogo e venceram os decisivos. Foi justo assim como acho que já mereciam ter ganho o Euro2004, quando perderam com a Grécia na final. Acredito que fui dos poucos que disse publicamente antes da final que Portugal era favorito diante da França. Eles jogavam em casa, mas sempre acreditei que Portugal sabia qual a fórmula para vencer a França. E conseguiram.

Cristiano Ronaldo foi determinante para o sucesso?

Sim, claro que sim. É um jogador fantástico, mas Portugal ganhou acima de tudo por ser um grupo, uma equipa unida, isso notou-se na final quando Cristiano Ronaldo se lesionou. Mas outros também se destacaram, como Renato Sanches e João Mário, por exemplo.

Disse recentemente que o problema do Real Madrid era ser dependente de Ronaldo. Porque diz isso?

Disse-o baseando-me nas exibições e resultados do Real Madrid sem o melhor Cristiano Ronaldo. Ele esteve algum tempo lesionado e regressou sem estar na sua melhor forma, sem marcar tantos golos e o Real Madrid tem-se ressentido, sobretudo em termos de lesões. Tem tão bons jogadores que não necessitavam de depender de Ronaldo, mas para mim o grande problema do Real Madrid é ser totalmente dependente dele. E isso não é bom para um clube.

Mas essa dependência não impede que ganhem títulos, como a Liga dos Campeões da temporada passada...

Sim, porque como já disse têm outros grandes jogadores, e nesse caso tiveram também Cristiano Ronaldo a fazer uma grande temporada. O problema é mesmo quando Cristiano Ronaldo não está fisicamente bem.

No ano passado criticou José Mourinho por alegadamente "esgotar psicologicamente os jogadores" ao final de ano e meio. O que quis dizer com isso?

Julgo que fui mal entendido. Apenas disse que José Mourinho tem uma forma de trabalhar em que exige demasiado dos jogadores, mas a verdade é que na maioria das vezes acaba por conseguir o que quer deles e tem sucesso nas equipas por onde passa. Daí estar agora também num clube com o valor do Manchester United.

E como tem visto as equipas portuguesas, o Benfica, FC Porto e Sporting, nos últimos anos?

As equipas portuguesas têm crescido muito nos últimos anos, têm feito grandes campanhas nas competições europeias. Isso também se deve ao bom trabalho feito no recrutamento de grandes talentos, que depois acabam por brilhar em outros campeonatos.

Em tantos anos no futebol, qual a história mais engraçada que recorda?

Felizmente posso rir-me com muitos episódios que vivi, mas recordo-me de quando estava a treinar o Real Madrid e ia de férias para Itália. Era muitas vezes apanhado no aeroporto com um presunto debaixo do braço. Os meus filhos são loucos por presunto e pediam-me sempre para levar. Fiz muitas capas de jornais por causa dos presuntos.

É italiano e tem a fama de gostar de estar na moda. É verdade?

Não sei se gosto de estar na moda, sei que gosto de moda, gosto de me vestir bem, de me sentir confortável. Mas isso não quer dizer que pense muito nisso, ou que gaste muito dinheiro para estar bem. Há coisas caras que são horríveis e coisas baratas que são lindas.

Tem algum estilista preferido?

Gosto de muita coisa, mas tenho preferidos, claro, como Palzeri e Armani.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG