O colosso vs. o renascido. Bale e Hazard em duelo pela história

Quartos-de-final. Gales procura estreia em meias-finais, Bélgica o regresso aos palcos que não frequenta há 30 anos. Jogo terá frente a frente duas das grandes estrelas do torneio

Um jogo entre País de Gales e Bélgica é algo vulgar - acontece uma vez por ano, desde 2012 -, mas nunca como hoje significou tanto para a história das duas seleções nem criou tanta expectativa pelo que as figuras de ambos os lados prometem: será também um duelo Gareth Bale vs. Eden Hazard, o frente-a--frente entre duas das maiores estrelas do Euro e do futebol mundial.

Bale é corpo e alma de Gales, seleção que busca a primeira presença na meia-final de uma grande competição (antes do Euro 2016, apenas tinha estado no Mundial 1958): veloz, polivalente e desequilibrador, é a superestrela dos "dragões". Já Hazard é o expoente máximo desta geração de ouro da Bélgica, que tenta regressar à ribalta (após ter sido finalista vencida do Euro 1980 e 4.ª do Mundial 1986): após uma época apagada, parece ter voltado à boa forma em França.

Em Lille (no regresso de Hazard à cidade onde se formou, jogando no clube local entre os 14 e os 21 anos), os holofotes vão incidir sobretudo sobre eles. Após ter ajudado o Real Madrid a conquistar a Liga dos Campeões (19 golos e 12 assistências em todas as competições), Bale é o colosso que tem carregado os galeses às costas, desde o início do Euro: marcou em todos os jogos da fase de grupos e fez a assistência para o autogolo decisivo de McAuley, na partida dos oitavos-de-final com a Irlanda do Norte. "Ele é uma figura essencial para nós, dentro e fora do campo", reconhece o selecionador do País de Gales, Chris Colenan. "Gareth melhora qualquer equipa do mundo. Sabemos que ele pode ganhar qualquer jogo para nós se tivermos um bom desempenho defensivo", completa o capitão dos dragões, Ashley Williams.

Do lado belga, embora a equipa tenha outras figuras, há igual reverência por Hazard - que, após uma época apagada (seis golos, sete assistências), voltou à boa forma que o fez ser eleito o melhor jogador da Premier League em 2014/15 (marcou 17 e fez 11 passes para golo). "Está certamente ao nível da classe do Gareth Bale. A sua confiança está a crescer, ele tem trabalhado muito para ajudar a equipa, e foi fantástico no último jogo. Ele é um dos melhores do mundo e espero que mantenha este nível até final do torneio", disse Toby Alderweireld, após o jogo com a Hungria (4-0) - só resolvido após Hazard fazer um golo e uma assistência nos minutos finais.

O selecionador da Bélgica, Marc Wilmots, conseguiu devolver o moral à estrela da equipa, após o annus horribilis do Chelsea [10.º na Premier League]. E não teve dúvidas em escolhê-lo como capitão, após uma lesão ter deixado Kompany fora do Euro 2016. "Ele não fala muito. Mas, quando fala, todos ouvimos, porque o respeitamos, pela sua qualidade e por tudo o que já fez. Ele dá o exemplo, pela forma como joga", resume Alderweireld.

Bale decidiu o último duelo

Chega o dia do reencontro entre Gareth e Eden, depois de galeses e belgas terem jogado todos os anos, desde 2012 (encontraram-se nas fases de apuramento para o Mundial 2014 e para o Euro 2016). Nesses duelos, o equilíbrio foi quase total: uma vitória para cada lado (0-2 para a Bélgica, em Cardiff, em 2012; 1-0 para Gales, em casa, em 2015). Hazard esteve em todas as partidas mas nunca marcou ou assistiu. Bale falhou uma... e decidiu a última há cerca de um ano: marcou o 1-0 ao minuto 25.
Essa vitória deixou os galeses às portas do Euro 2016. "Até àquele momento, foi o meu golo mais importante por Gales. Ganhar à seleção n.º 2 do ranking mundial deu--nos uma confiança extra e levou--nos para outro nível", recorda Bale, mostrando fé numa vitória hoje. "Já o conseguimos antes", sublinha.
"Gales é muito complicado: tem uma equipa compacta, com um jogador estrela na frente, Bale. Não lhe conseguimos ganhar qualquer dos jogos na fase de qualificação", aponta, do outro lado, Hazard. "Temos de estudá-los bem e encará-los da melhor forma para ganhar", insiste. Quem vencer, tem garantido um lugar na história - e nas meias-finais (quarta-feira, dia 6, às 20.00).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG