A Luz é mesmo um inferno para quem defronta a seleção

A seleção nacional defronta este sábado a Hungria na Luz, o seu palco-talismã ao longo da história por comparação com os estádios dos outros dois grandes, Sporting e FC Porto

Não há volta a dar, o Estádio da Luz, falamos daquele que foi inaugurado em 1954 e do novo estreado em 2003, é o palco onde a seleção nacional se sente mais à vontade e consegue mais triunfos. Esta análise é feita tendo como comparação os recintos dos três grandes, nomeadamente desde que foram inaugurados os antigos estádios no início da década de 50. E isso é um bom sinal para o encontro de sábado com a Hungria em que Portugal está completamente obrigado a ganhar para continuar a depender de si na qualificação para o Mundial 2018.

Curiosamente, o antigo Estádio da Luz demorou 17 anos a receber um encontro da seleção mas começou bem, com um triunfo sobre a Escócia por 2-0 em 1971. Aliás, o velhinho palco do Benfica foi mais do que um mero talismã. Em 29 partidas ali disputadas, Portugal apenas perdeu dois encontros e ambos pela margem mínima e pelo mesmo resultado - 1-2 diante de Áustria e Suíça. Mas obteve grandes feitos como a qualificação para os Europeus de 1984, 1996 e 2000 e ainda para o Mundial 2002.

E aqui não entram, porque esta contabilidade tem que ver apenas com a seleção A, os sub-21, pois foi na Luz que Portugal venceu a final do Mundial 1991 diante do Brasil.

Tantos desaires como o antigo palco já tem o novo Estádio da Luz, inaugurado em 2003. E uma dessas derrotas foi marcante para o futebol português, pois deu-se na final do Euro 2004 diante da Grécia, um jogo que ficará eternizado por muitos troféus que Portugal conquiste.

Muito aproximados nas médias de vitórias estão os estádios quer do FC Porto quer do Sporting, ainda que com uma ligeira vantagem para o reduto dos azuis e brancos, que viram muitos jogos da seleção serem efetuados logo após a inauguração do Estádio das Antas. Isto coincide com uma altura em que Portugal, com exceção do Mundial 1966, esteve praticamente ausente das grandes competições. Ainda assim, só ao 13.º encontro nas Antas Portugal conheceu o sabor da derrota, frente à Polónia no ano de 1976, com um desaire por 0-2, bis do mítico Lato. E assim Portugal começou a afastar-se do Mundial 1978.

O último encontro da seleção nas Antas foi com o Brasil. Portugal ganhou (2-1) com um golo de Deco que se estreava pela equipa das quinas no estádio onde mostrou o seu futebol e diante da seleção do país que o viu nascer.

Contas certinhas têm os dois estádios leoninos, em ambos metade dos jogos acabaram em triunfos, mas o novo estádio, inaugurado em 2003 naquele que foi o último encontro de Ronaldo de leão ao peito, começou em grande. Quatro jogos marcantes, quatro vitórias. Dois deles no Euro 2004 frente a Espanha e Holanda e goleadas a Rússia (7-1) e Bélgica (4-0). Mas desde este último encontro em 2007 que Portugal não ganha em Alvalade e já lá voltou a exibir-se em mais quatro ocasiões.

Tudo somado, a Luz é mesmo um inferno para quem defronta a seleção nacional.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG