"Eliminar o Shakhtar é muito difícil, mas não impossível"

Paulo Fonseca, treinador dos minhotos, recorda larga experiência dos ucranianos nas provas europeias

O treinador do Sporting de Braga, Paulo Fonseca, disse esta quarta-feira que a tarefa de eliminar o Shakhtar Donetsk, adversário dos quartos-de-final da Liga Europa de futebol, "é muito difícil, mas não impossível".

Os minhotos recebem os ucranianos na quinta-feira, na primeira mão dos 'quartos', e o técnico disse esperar muitas dificuldades "perante um adversário de grande qualidade e com larga experiência europeia".

"Nos últimos dez anos, [o Shakhtar] esteve nove na Liga dos Campeões. Este ano entrou nessa prova deixando pelo caminho o Fenerbahçe, equipa que vencemos na última eliminatória, esteve num grupo em que apanhou o Real Madrid, fez três golos em Madrid, o que não é fácil e atesta bem da qualidade ofensiva desta equipa", elencou na conferência de imprensa de antevisão ao jogo de quinta-feira.

Para Paulo Fonseca, o Shakhtar "é uma equipa muito forte, principalmente no ataque, onde tem jogadores virtuosos" e "uma das principais candidatas a vencer esta Liga Europa".

Contudo, e apesar de reconhecer a mais-valia do adversário, o treinador considera que esta, tal como outras, "é uma missão muito difícil, mas não impossível".

Instado sobre qual das equipas chega em melhor momento, depois da pesada derrota do Braga por 5-1 com o Benfica, na última jornada, e a goleada do Shakhatar, no campeonato ucraniano, sobre o Metalist, por 8-1, Paulo Fonseca lembrou que, antes do jogo da segunda mão com o Fenerbahçe, o Braga também tinha perdido com o Belenenses (3-0).

"Tenho um grupo muito equilibrado e que percebe perfeitamente as situações. A crítica foi unânime, o resultado não traduz o que se passou na Luz. Estamos bem preparados, conscientes das dificuldades que vamos ter, mas plenamente convencidos de que podemos discutir esta eliminatória", disse.

Paulo Fonseca afirmou ainda que o Braga tem dois objetivos para quinta-feira: vencer e não sofrer golos.

"Queremos ter a iniciativa do jogo, jogar no meio-campo adversário, criar e concretizar situações de finalização. Jogamos a primeira mão em casa e temos que ser obrigatoriamente uma equipa ofensiva, sabendo que um dos pontos fortes do adversário é a sua transição ofensiva, temos que estar preparadíssimos para isso", disse.

O guarda-redes Matheus corroborou a opinião do treinador, destacando a qualidade e experiência do Shakhtar, mas garantiu que os jogadores estão cientes das dificuldades que vão enfrentar e apelou à união do grupo em campo.

Desvalorizou ainda os cinco golos sofridos na Luz: "o bom do futebol é isso, quando se perde temos logo uma oportunidade para dar a volta por cima, assim como quando se ganha há a pressão de continuarmos a dar o nosso melhor, e temos uma grande oportunidade na quinta-feira", disse.

Sporting de Braga e Shakhtar Donetsk defrontam-se às 20:05 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado pelo sueco Jonas Eriksson.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG