E se os treinadores não falassem mais dos árbitros?

Paulo Fonseca lançou o repto, Manuel José apoia "a 1000%". Líder dos treinadores diz que... se pode e deve comentar arbitragens

A ideia partiu de Paulo Fonseca, após ter sido questionado sobre um pretenso penálti que podia dar o empate à sua equipa, no final do jogo de sábado entre o Paços de Ferreira e o Sporting de Braga. "Acho que se está a cair no exagero no que toca a comentários sobre arbitragens. Apetece-me lançar um repto à nossa classe: porque não fazer como em Itália, em que os treinadores decidiram deixar de falar sobre arbitragens? Teria de ser através da Associação Nacional de Treinadores (ANTF). Se todos os treinadores concordassem, eu seria o primeiro a aderir", atirou o técnico dos bracarenses.
O presidente da ANTF, José Pereira, está recetivo a ouvir as sugestões de Paulo Fonseca e seus pares, mas não acredita no sucesso dessa medida. "Não me parece razoável que os treinadores não possam comentar o trabalho do árbitro. Vivemos num país democrático e toda a gente tem direito a fazê-lo. Os treinadores podem e devem comentar a arbitragem, com a mesma competência que comentam o jogo, porque os árbitros fazem parte do jogo. Agora, devem fazê-lo com elevação", reiterou ao DN.

Leia mais na edição de epaper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG