Dongmo falha medalhas, Mamona sofre pela final

Auriol Dongmo terminou a competição do lançamento de peso no quinto lugar, enquanto Patrícia Mamona assegurou uma das 12 vagas na final. Cátia Azevedo enfrenta eliminatórias dos 400 metros.

Auriol Dongmo falhou o pódio da competição do lançamento do peso nos Mundiais de atletismo, em Eugene, nos Estados Unidos, no sábado, depois de Patrícia Mamona, vice-campeã olímpica do triplo salto, ter sofrido para chegar à final.

A lançadora portuguesa não conseguiu repetir o êxito alcançado em março, em Belgrado, nos Mundiais 'indoor', terminando o concurso no quinto lugar, com 19,62 metros, abaixo dos 20,43 do seu recorde nacional.

Dongmo lamentou não ter conseguido repetir no estádio Hayward Field o arremesso conseguido no aquecimento, numa prova decidida logo no primeiro ensaio, protagonizado pela norte-americana Chase Ealy, que, com 20,49, arrebatou a medalha de ouro, ficando a dois centímetros da melhor marca do ano, também sua.

Depois do quarto lugar em Tóquio2020, Dongmo voltou a ficar fora do pódio, sendo batida pela chinesa Lijiao Gong, bicampeã do mundo em título, medalha de ouro em Tóquio2020, prata em Londres2012 e bronze em Pequim2008, com 20,39, pela neerlandesa Jessica Schilder e pela canadiana Sarah Mitton, ambas com 19,77.

A jornada de sábado começou com a estreia de Patrícia Mamona na 18.ª edição dos Mundiais, com uma qualificação sofrida, pelas dores nas costas da atleta do Sporting e pela decisão no terceiro salto, com 14,32 metros.

A medalha de prata em Tóquio2020 e recordista nacional, com 15,01 metros, assegurou uma das 12 vagas na final, sem superar os 14,40 da marca de qualificação e com o 10.º lugar, depois de ter começado o concurso com 14,05 e com um nulo.

Mamona vai disputar a final do triplo na segunda-feira, a partir das 18:20 locais (02:20 de terça-feira em Lisboa).

De fora das semifinais ficaram Lorene Bazolo, nos 100 metros, e Isaac Nader, nos 1.500 metros, com marcas modestas, aquém dos seus melhores registos.

A recordista nacional nos 100 metros (11,10 segundos) encerrou a participação na distância com o 38.º tempo das eliminatórias (11,44), depois de ter sido sexta na sétima série, vencida pela suíça Mujinga Kambundji (10,97). A marca da última repescada foi de 11,17.

Isaac Nader, que tem como recorde pessoal 3.36,50 minutos, também foi eliminado, ao terminar no 13.º e último lugar a segunda série dos 1.500 metros, em 3.42,81, a mais de cinco segundos do último qualificado, com o 40.º e penúltimo registo entre os 41 presentes.

Cátia Azevedo vai ser este domingo a única representante portuguesa nos campeonatos do mundo de atletismo, ao enfrentar as eliminatórias dos 400 metros, em Eugene, nos Estados Unidos.

A velocista natural de Oliveira de Azeméis, de 28 anos, vai disputar a segunda série, a partir das 12:08 locais (20:08 em Lisboa), procurando uma das 24 vagas nas semifinais, para as três primeiras de cada partida e para as seis mais rápidas entre as restantes.

Cátia Azevedo, que recentemente conquistou a medalha de ouro nos Jogos do Mediterrâneo, chegou à 18.ª edição dos Mundiais com a 28.ª marca do ano (51,24 segundos) e assumiu a ambição de melhorar o seu recorde nacional, de 50,59 segundos, alcançado em junho de 2021.

A atleta do Sporting, olímpica no Rio2016 e em Tóquio2020, estreou-se em campeonatos do mundo em Doha2019, sem conseguir superar as eliminatórias.

As meias-finais dos 400 metros estão marcadas para quarta-feira, a partir das 18:45 (02:45 de quinta em Lisboa), enquanto a final vai ser disputada dois dias depois, na sexta, às 19:15 (03:15 de sábado).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG