Afinal, Raphäel Guerreiro tem "contusão" e "está em recuperação"

Fonte oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) revela que lateral não sofreu fratura e jogador apaga mensagem

Depois de o próprio Raphaël Guerreiro ter publicado na rede social Instagram uma mensagem na qual revelava ter uma fratura no pé, mas antiga, "há três meses", e não contraída no jogo frente à Rússia, a Federação Portuguesa de Futebol informou, também na manhã desta quinta-feira, que o lateral esquerdo não sofreu qualquer fratura e que se encontra em fase de recuperação.

"Por haver suspeita de fratura, Guerreiro foi submetido a exames num hospital em Moscovo. Analisados os exames, não foi detetada qualquer fratura na zona afetada [pé esquerdo]", explicou fonte oficial da FPF, citada pela Agência Lusa.

Entretanto, o jogador apagou a mensagem que tinha publicado no Instagram e na qual deixava entender que não deveria jogar mais nesta Taça das Confederações.

"Obrigado a todos pelas mensagens de apoio. Tenho uma fratura, mas há três meses. Aí não tenho dores. Onde tenho agora dores não há fratura, mas por enquanto não posso colocar o pé no chão ou mexê-lo. Mas vou continuar aqui para apoiar os meus companheiros da seleção no resto da competição", escreveu então na mensagem entretanto apagada.

No entanto, para já, apenas está descartada a sua utilização frente à Nova Zelândia, no próximo sábado, no último jogo do grupo A.

Na quarta-feira, o lateral esquerdo do Borussia Dortmund teve de ser substituído por Eliseu no jogo frente à Rússia, da segunda jornada do Grupo A da Taça das Confederações, que Portugal venceu por 1-0, com um golo de Cristiano Ronaldo, e no momento suspeitou-se de uma fratura.

A lesão do jogador ocorreu num lance em que foi pisado, levando à sua substituição aos 65 minutos.

Portugal, campeão da Europa, e México lideram o Grupo A da Taça das Confederações, com quatro pontos, mais um do que a Rússia, enquanto a Nova Zelândia ainda não pontuou.

Depois do empate frente aos mexicanos (2-2) e a vitória diante dos russos (1-0), a equipa das 'quinas' defronta a Nova Zelândia, no sábado, às 18:00 (16:00), num jogo em que poderá confirmar a passagem às meias-finais da competição.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.