Cova Piedade sagra-se campeão da segunda divisão nos penáltis

Depois de assegurar a subida à II Liga, o Cova da Piedade venceu o jogo do título, frente ao Vizela

O Cova da Piedade sagrou-se hoje campeão nacional de futebol da segunda divisão, ao vencer o Vizela em Abrantes, num jogo muito equilibrado e só resolvido após recurso à marcação de grandes penalidades.

Rúben Alves e o veterano Silas foram os únicos que acertaram na 'lotaria' dos penáltis, ao contrário dos quatro jogadores nortenhos que tentaram (Fininho, Kevyv, Luís Ferraz e Panin) e de Marco Bicho, dos vencedores.

Num jogo em que ninguém merecia perder, a equipa de Vizela, campeã da Zona Norte, entrou a mandar no jogo e a exercer grande pressão no meio campo, conseguindo criar os primeiros lances de perigo aos cinco, sete e 17 minutos, valendo, na ocasião, o acerto defensivo dos homens do Cova da Piedade.

O Cova da Piedade, equipa campeã da Zona Sul só aos 19 minutos conseguiu criar o primeiro lace de perigo, através de um centro bem medido a que o ponta de lança Varela não chegou por escassos centímetros.

A partir dos 20 minutos, o jogo ficou dividido e com ocasiões de golo para ambas as equipas, sempre incentivadas pelos muitos adeptos que se fizeram deslocar até à cidade de Abrantes, no Ribatejo.

A equipa de Cova da Piedade teve mesmo maior ascendente ofensivo entre os 20 e os 35 minutos, conseguindo construir três lances de muito perigo, contra um da equipa de Vizela.

Nos últimos 10 minutos do primeiro tempo, o jogo foi disputado numa toada de equilíbrio, com oportunidades para ambas as equipas, mas sem a bola entrar em qualquer uma das balizas.

Apesar do calor que se fazia sentir em Abrantes, a primeira parte resultou num jogo de futebol agradável de seguir, num relvado bem tratado e perante duas equipas que garantiram a promoção à II Liga empenhadas em conquistar o último troféu da época para o seu palmarés.

No reatamento, a equipa nortenha voltou a entrar mais forte e a conseguir criar os primeiros lances de perigo, sem sucesso. Seria num contra ataque que a equipa do Cova da Piedade viria a colocar em sentido os vizelenses, com um cabeceamento a passar a centímetros do poste esquerdo à guarda de Albergaria.

O jogo manteve uma toada muito viva e sem grandes preocupações defensivas durante os primeiros 25 minutos do segundo período, altura em que o ritmo do jogo quebrou um pouco, devido ao calor que se fazia sentir e ao cansaço de alguns jogadores.

A equipa de Vizela ainda chegou a fazer entrar a bola na baliza adversária, mas o lace foi invalidado por alegado fora de jogo.

Daí, e até final, poucas oportunidades flagrantes de golo a registar, tendo o jogo terminado empatado a zero e sido necessário recorrer a um prolongamento de 30 minutos e do qual nada alterou, em termos de marcador.

No desempate nas grandes penalidades a equipa do Cova da Piedade falhou um e converteu dois dos pontapés, enquanto a equipa do Vizela desperdiçou os quatro lances de que dispôs.

Exclusivos