Incentivos financeiros a adversários vão dar perda de pontos

Os três grandes, Benfica, FC Porto e Sporting, e seis clubes não se fizeram representar, nomeadamente o Desportivo das Aves e Paços de Ferreira, da I Liga, bem como Gil Vicente, Nacional, União da Madeira e Real Massamá, da II Liga.

Os clubes reunidos em assembleia geral extraordinária da Liga Portuguesa de Futebol Profissional aprovaram, esta quarta-feira, por unanimidade ou maioria qualificada, alterações ao Regulamento Disciplinar, que passam pelo agravamento de várias sanções, nomeadamente perda de pontos para incentivos financeiros.

Na reunião magna de oito horas realizada no Porto, os clubes concordaram com o aumento do valor de multas para algumas infrações e com a perda de pontos para casos em que um clube apresente incentivos financeiros a outro para que vença determinado jogo. Perda de três a cinco pontos na classificação do respetivo campeonato é a sanção.

Além disso, foram ainda aprovadas punições mais pesadas a dirigentes que incitem à violência. "Um dirigente que, dentro de um quadro específico, que estará previsto, cometa duas infrações, fica sujeito, à terceira, a pagar multas mais elevadas e, em extremo, a ser impedido de entrar em estádios", explicou Sónia Carneiro, diretora geral da Liga.

Foram aprovadas alterações em sede de Regulamento de Arbitragem, nomeadamente modificações às regras do videoárbitro (VAR), indo ao encontro das pretensões do Conselho de Arbitragem.

Os três grandes, Benfica, FC Porto e Sporting, e seis clubes não se fizeram representar, nomeadamente o Desportivo das Aves e Paços de Ferreira, da I Liga, bem como Gil Vicente, Nacional, União da Madeira e Real Massamá, da II Liga.

Exclusivos