Chelsea obriga City a adiar festa do título

Blues venceram citizens num ensaio para a final da Champions. Guardiola e os portugueses Rúben Dias, Bernardo Silva e João Cancelo podem ser campeões no sofá no domingo... se o United perder.

O Chelsea foi a Manchester apostado em estragar a festa ao City e conseguiu fazê-lo, ao vencer por 2-1, em jogo da 35.ª jornada, e adiou o título dos citizens na Premier League por mais uns tempos.

A três semanas da final da Liga dos Campeões, entre estes mesmos dois emblemas, este jogo no estádio Ethiad foi também um ensaio para o jogo marcado para a Turquia, com os londrinos a reforçarem a ideia de que não estão dispostos a fazer papel de figuração.

A equipa do Chelsea, treinada por Thomas Tuchel, 'toma o gosto' em bater o City, já que há menos de um mês já tinha ganho para a Taça de Inglaterra, nas meias-finais, por 1-0.

Um dia perfeito para o Chelsea, também porque o resultado de hoje permite a ultrapassagem ao Leicester no terceiro lugar da Premier League, logo atrás das formações de Manchester.

O City lidera, com 80 pontos após 35 jornadas, contra 67 do United, que tem dois jogos a menos. Se os diabos vermelhos venceram domingo o Aston Villa, o título fica adiado, se caírem em Birmingham, os citizens fazem a festa com 24 horas de atraso.

Mais atrás na tabela, o Chelsea tem 64 pontos e o Leicester 63, sendo o West Ham distante quinto, com 58 pontos.

No estádio Ethiad, a equipa de Pep Guardiola não foi a mais forte que se poderia apresentar, com nove mudanças face ao onze que há quatro dias tinha jogado contra o Paris Saint-Germain para a Champions - só se mantiveram o guarda-redes Ederson e o central luso Ruben Dias.

João Cancelo foi um dos que teve direito à titularidade, enquanto Bernardo Silva foi poupado. Tuchel alterou menos e o Chelsea só apresentou cinco modificações, face à meia-final vitoriosa ante o Real Madrid.

Quem foi a jogo aproveitou para uma partida frenética, sobretudo depois do Chelsea ver um golo anulado por fora de jogo de Timo Werner, aos 32 minutos.

Raheem Sterling adiantou o City aos 44, depois de uma intervenção falhada de Andreas Christensen. Logo de seguida, a equipa da casa ganhou um penálti, mas Sergio Aguero desperdiçou o seu remate à Panenka, defendido por Mendy.

O marroquino Hakim Ziyech empatou, aos 63, antes de mais dois golos anulados pelo árbitro, por foras de jogo - foi o caso de Werner, aos 79, e Callum Hudson-Odoi, aos 81.

Marcos Alonso, servido por Werner, acabou por dar a vitória aos londrinos, já aos 90+2.

Tottenham perdeu

Em momento oposto ao Chelsea está o Tottenham, já sem José Mourinho, derrotado por 3-1 em Leeds e a ver as competições europeias a ficar em risco.

Os spurs ainda seguem em sexto, a dois pontos do West Ham, mas perderão a posição se o Liverpool ganhar ao Southampton.

Também este sábado, o Crystal Palace ganhou, por 2-0, no campo do Sheffield United, lanterna vermelha e virtualmente despromovido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG