Chapecoense repudia e lamenta cânticos dos Super Dragões

O DN teve acesso a um comunicado onde o clube critica os cânticos, dizendo mesmo que não são próprios de "pessoas de bem"

O clube brasileiro Chapecoense, que esteve envolvido num trágico acidente de avião no ano de 2016, que levou à morte de quase toda a equipa, emitiu esta quinta-feira um comunicado a que o DN teve acesso onde critica e lamenta os cânticos entoados pela claque do FC Porto, os Super Dragões, dizendo mesmo que tal ato não e próprio de "pessoas de bem".

Na quarta-feira, no jogo do campeonato nacional de andebol, a claque azul e branca entoou um cântico alusivo a equipa do Benfica que fazia referência à tragédia,"ai, quem me dera que o avião da chapecoenses fosse do Benfica".

Leia o comunicado na integra:

"A ASSOCIAÇÃO CHAPECOENSE DE FUTEBOL, em relação aos tristes acontecimentos ocorridos esta semana em Portugal, quando uma parte da torcida do clube do Porto, em disputa esportiva local, incitou o público presente, fazendo referência desairosa e ofensiva ao acidente do voo da Chapecoense, entoando canto agressivo e de desrespeito à memória dos mortos e do clube, na lamentável tragédia ocorrida na Colômbia, manifesta-se com profundo pesar sobre tais factos, que não são próprios de pessoas de bem e do meio esportivo, cujo ambiente deve ser sempre de respeito e solidariedade ao adversário e não de propagação de ódio e cizânias, mormente nos conturbados tempos atuais da humanidade.

No futebol como em qualquer disputa no campo esportivo deve se sobrepor o primado da ética e da solidariedade humanas, sempre em busca do congraçamento e da felicidade das pessoas e dos povos, aliás, estes os objetivos maiores da vida.

Por fim, a Chapecoense concita seus clubes irmãos de Portugal e de todo o mundo para que disseminem o congraçamento, respeito e concórdia nas relações esportivas."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG