Besiktas nega responsabilidade e diz que Lyon deve ser sancionado

O clube turco onde atua o português Quaresma edfende que todos os incidentes que aconteceram são da "responsabilidade do Lyon"

O Besiktas rejeitou esta sexta-feira qualquer responsabilidade nos incidentes ocorridos na quinta-feira, no jogo dos quartos-de-final da Liga Europa de futebol, disputado em Lyon, e defendeu que só o clube francês deve ser sancionado.

"Tudo o que aconteceu é responsabilidade do Lyon. Se alguém deve ser sancionado, não é o Besiktas, mas sim o Lyon. Nós não fizemos nada, não temos por que estar preocupados", garantiu o porta-voz da direção do clube turco, numa entrevista à agência nacional

Para Metin Albayrak, a prioridade do clube visitado deve ser assegurar que o jogo decorre em condições de segurança.

"Faltou pouco para que um linchamento se produzisse no coração da Europa. Eles [adeptos do Lyon] atacaram com barras de ferro, sem fazer distinção entre adultos e crianças", acrescentou.

As declarações do porta-voz do Besiktas são uma reação ao pedido do presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, que, na quinta-feira, considerou que um encontro à porta fechada "seria a única solução de justiça" na visita ao Besiktas, após os incidentes na primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa de futebol.

O encontro entre Lyon e Besiktas começou com 46 minutos de atraso, depois de os adeptos da equipa francesa terem entrado no relvado, para 'fugirem' de objetos e material pirotécnico atirado para as bancadas por apoiantes do clube turco.

Na sequência do incidente, 12 adeptos franceses e turcos foram detidos e sete pessoas ficaram feridas sem gravidade.

O clube francês acusa os seguidores do Besiktas de terem estado na origem dos desacatos. "É evidente que fomos vítimas de uma agressão por parte dos adeptos turcos", argumentou hoje o diretor jurídico do Lyon, Vincent Ponsot.

Annie Saladin, responsável pela segurança do clube lionês, revelou que cerca de 50 ultras turcos do grupo Carsi estiveram na origem do incidente que provocou a invasão de campo.

O Lyon, com o internacional português Anthony Lopes no 'onze', acabou por vencer o Besiktas, por 2-1, sendo que a segunda mão se disputa a 20 de abril, em Istambul.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.