Uma possível venda milionária no reino da águia

Lindelöf e Nélson Semedo são os jogadores mais apetecíveis para os clubes europeus. Entradas? "Só se alguém sair"

Álvaro Magalhães, jogador do Benfica entre 1981 e 1990, encara com descontração eventuais saídas de jogadores titulares neste mercado de janeiro. "Tem-se falado em Nélson Semedo, Lindelöf [ambos cobiçados pelo Manchester United] e Jiménez, mas se houver boas possibilidades de negócio acho muito bem que saiam. Ao longo dos últimos anos, o Benfica tem-se caracterizado por saber vender bem e tem sempre encontrado bons substitutos." Basta, aliás, recordar o mercado de inverno de 2014-15, quando Enzo Pérez, na altura imprescindível para Jorge Jesus, saiu para o Valência, e não foi por isso que os encarnados deixaram de ser campeões.

Caso algum destes futebolistas saia - Lindelöf é o mais provável -, Álvaro Magalhães mostra-se confiante de que o clube "saberá contratar bons substitutos". De resto, no que toca ao caso do central sueco, defende que "nem sequer será preciso recorrer ao mercado, pois Jardel e Lisandro López são duas ótimas soluções". E ainda existe o sérvio Kalaica, jovem de 18 anos que tem evoluído na equipa B e no qual os responsáveis benfiquistas depositam muita esperança.

O atual treinador do Gil Vicente entende que Nélson Semedo "faria bem em manter-se no clube até ao verão, para continuar a crescer e evoluir, pois só passou a ser titular indiscutível nesta temporada". No seu entender, a continuidade do defesa direito por mais alguns meses "também seria benéfica para o Benfica, que assim conseguiria uma transferência por valores mais elevados".

Já o grego Samaris está desconfortável com a posição de suplente e não se importaria de mudar de ares, de modo a ser mais utilizado. Álvaro concorda que essa seria uma boa opção para o médio. "Ele tem tido poucas oportunidades, pois o Fejsa está num nível muito elevado e, ao contrário do habitual, não tem tido problemas físicos. O Samaris cabe perfeitamente no plantel, pois cumpre sempre que é chamado. No entanto, temos de ver a questão pelo lado do jogador e ele possivelmente quer ser mais utilizado...", sublinha.

Quem, no entender de Álvaro Magalhães, deveria sair é o colombiano Célis, outro médio defensivo. "Seria bom para ele rodar alguns meses numa equipa em que tivesse oportunidade de mostrar as suas qualidades, de modo a evoluir e ganhar traquejo", defende.

Opções para as alas não faltam a este Benfica, mas para esta antiga glória das águias há claramente um jogador insubstituível e outro descartável. "O Salvio está a fazer uma excelente época. Ultrapassou a grave lesão e já é um dos capitães, faz todo o sentido que continue. Já o Carrillo não tem mostrado nada, o que era expectável, depois de ter estado quase um ano parado. Caso haja uma boa proposta por ele, acho que o Benfica deve aceitar", defende.

Álvaro entende que não existe qualquer posição a necessitar de ser reforçada. "Só deverá haver entradas no caso de alguém sair. De qualquer forma, o mercado de janeiro deve servir apenas para um ou outro reajuste, caso haja uma lesão ou um jogador que não se adapte. Os plantéis devem ser construídos no início da época e não faz sentido contratar apenas por contratar...", finaliza.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG