"Rafa vive no mundo dele e não tem a noção daquilo que realmente vale"

Extremo regressa hoje a Santa Maria da Feira, onde se estreou. Antigo colega fala de um fora de série e como o tentava motivar

Rafa Silva estreou-se na temporada 2012-2013 como sénior na II Divisão com a camisola do Feirense, clube pelo qual fez 47 jogos e marcou 11 golos. Hoje está de regresso a Santa Maria da Feira (18.15, Sport TV1), num período em que atravessa o seu melhor momento desde que ingressou no Benfica, na temporada passada.

"Muito sinceramente, acreditava que ele já tivesse dado outro salto, que já não estivesse em Portugal. Ele tem umas qualidades incríveis, de fora de série, sempre lhe disse isso. Pensei que após o primeiro ano no Benfica conseguisse dar o salto para um clube de topo europeu", contou ao DN Carlos Fernandes, guarda-redes internacional angolano que foi colega de Rafa no Feirense e que atualmente joga no Vilafranquense.

A verdade é que só muito recentemente Rafa conseguiu impor-se na equipa de Rui Vitória e começar a justificar os 16 milhões de euros que o Benfica pagou ao Sp. Braga. Carlos Fernandes tem algumas justificações para o apagamento do ex-colega. "O Rafa vive no mundo dele e não tem a noção daquilo que realmente vale, das qualidades que tem, esta é a melhor forma de interpretar o Rafa. Lembro-me de falar com ele muitas vezes sobre clubes como o Barcelona ou o Real Madrid, sonhos de todos os jogadores, como ele, e que era muito fácil chegar lá, pior era permanecer. E dizia-lhe isso para o picar", salientou.

Carlos Fernandes conheceu Rafa no Feirense na temporada 2012-2013, quando o extremo se estreou com apenas 18 anos, numa equipa treinada por Henrique Nunes. Seis anos depois, contudo, diz que o internacional português, que se sagrou campeão europeu em 2016, não mudou muito, sobretudo em termos de personalidade. "Vive numa caixinha, no mundo dele. Tenho conhecimento, por amigos que tenho no Benfica, que ainda hoje é assim. Só quer é dormir, está sempre com sono, tem de se estar sempre puxar por ele, a acarinhá-lo", confessou o guardião de 38 anos.

Evolução na Luz

Carlos Fernandes admite que esperava que Rafa se tivesse imposto mais cedo no Benfica. Mas garante que já vê alguma evolução no internacional português. "É um miúdo que joga futebol de rua e que quando tem a bola no pé faz tudo e mais alguma coisa. É aquela pessoa que se tem de chamar a atenção para defender, marcar. Ou melhor, era, porque agora está muito melhor", salientou o internacional angolano, perspetivando ainda uma carreira de sucesso para o jogador dos encarnados.

"Claro que ainda vai muito a tempo. Sempre lhe disse que ele tinha qualidades para tal e agora está a voltar a confirmar tudo aquilo que comecei a ver no Feirense. Nessa altura todos nós víamos que estava ali um talento especial", afirmou Carlos Fernandes, a quem Rafa tratava como "chato". "Se lhe perguntarem quem era o chato do Feirense, de certeza que vai dizer que era eu. Mas no bom sentido", disse, comentando depois o regresso de Rafa a Santa Maria da Feira. "Tem um grande afeto por todas as pessoas do clube. Foi ali que lhe deram a primeira grande oportunidade e ele não se esquece disso. Mas vai dar tudo pela vitória do Benfica. E agora está num grande momento", concluiu o guarda-redes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG