"Quem semeou ventos vai ter de colher tempestades"

Advogado do Benfica garante que pedido de indemnização ao FC Porto é "só o princípio"

João Correia explicou esta sexta-feira os motivos do pedido de indemnização ao FC Porto no valor de 17,7 milhões de euros e garantiu que o clube vai continuar a agir judicialmente contra "aqueles que ofenderam e atacaram o Benfica nas mais diversas vertentes". "Quem semeou ventos vai ter de colher tempestades", avisou, em declarações reproduzidas pelo site do Benfica.

Segundo o porta-voz da equipa de advogados do clube da Luz, até ao verão, "tudo o que é para acionar, será acionado". E essas ações podem não se limitar a território nacional, acrescentou.

"Isto é apenas o princípio de uma procissão que ainda nem sequer saiu do adro. Todos aqueles que ofenderam e atacaram o Benfica nas mais diversas vertentes (desportiva, moral, económica, empresarial, imagem, honra, dignidade, etc.) vão ser judicialmente acionados, não há dúvidas sobre isso", disse o advogado.

"Nada será esquecido. As repercussões são a curto, médio e longo prazo. Quem semeou ventos vai ter de colher tempestades. Vai ser muito notório, mesmol", acrescentou.

João Correia explicou que os 17,7 milhões exigidos ao FC Porto "dizem respeito exclusivamente às questões de violação das regras da concorrência entre instituições, neste caso sociedades anónimas desportiva" e decorrem da providência cautelar deduzida a favor do Benfica no Tribunal de Relação do Porto. "Visa reparar os danos decorrentes da violação das regras de concorrência entre as duas SAD, isto é, os danos provocados pela SAD do FC Porto à SAD do Benfica".

O advogado não adiantou mais pormenores sobre os futuros procedimentos judiciais a acionar: "Estamos a trabalhar todos nesse sentido e as coisas aparecerão na altura própria. Não fazemos pré-avisos sobre a natureza das ações que vamos pôr ou dos procedimentos criminais que vamos fazer, mas hão de aparecer, no momento próprio."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG