"O Dínamo é forte e o empate pode não chegar ao Benfica"

Paulo Fonseca, treinador do Shakhtar Donetsk, conta ao DN de onde vêm os perigos do adversário encarnado e diz que o clube da Luz só tem uma solução: vencer

O Benfica se quiser qualificar-se para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões precisa hoje de fazer um bom resultado em Kiev, diante do Dínamo, o atual campeão da Ucrânia.

Há um português que conhece muito bem o adversário do clube da Luz. Falamos de Paulo Fonseca, treinador do Shakhtar Donetsk, atual líder do campeonato com mais seis pontos do que o segundo classificado, precisamente o Dínamo de Kiev. No entendimento do antigo técnico do FC Porto, o Benfica não pode pensar apenas em não perder, pois poderá não chegar para no final, feitas as contas, conseguir terminar esta fase nos dois primeiros classificados do grupo.

"Acho que este é um jogo vital para o Dínamo Kiev e o Benfica. Se qualquer uma destas equipas quer ambicionar a qualificação precisa obrigatoriamente de vencer. Na minha opinião, o empate pode não ser suficiente para o Benfica passar porque o Besiktas e o Dínamo Kiev são equipas muito fortes. Não sei mesmo se o empate em Kiev chega para o Benfica", diz o treinador ao DN.

Tendo em conta o facto de as duas equipas necessitarem de pontos, Paulo Fonseca não só não está à espera de um jogo de sentido único como também não consegue dizer que o campeão nacional tem mais argumentos do que o Dínamo.

"Não sei se o Benfica é superior ao Dínamo, tenho dúvidas em dizer isso. Conheço bem o Dínamo e tem uma equipa fortíssima, com uma ideia de jogo sedimentada, sem grandes mexidas no plantel e em casa é muito poderoso. Penso que não há uma equipa favorita, a vitória pode pender para os dois lados. Vejo um Dínamo forte e um Benfica também forte, é uma incógnita o resultado. Prevejo um vencedor, a haver um, decidido nos detalhes", analisa Paulo Fonseca.

Yarmolenko, a grande estrela

Quando se fala no Dínamo Kiev é inevitável falar-se em Yarmolenko, médio ofensivo de 26 anos, estrela do campeão da Ucrânia e da própria seleção. Mas Paulo Fonseca vê mais futebolistas que possam complicar a vida à formação comandada por Rui Vitória: "Não há forma de fugir a isso. O Yarmolenko é o grande jogador do Dínamo Kiev. Estamos a falar de um excelente futebolista com todas as condições, na minha opinião, para jogar em qualquer equipa de qualquer campeonato europeu. Mas o avançado, o Júnior Moraes, também é muito bom, assim como o Derlis González, que é um extremo de grande talento. Na defesa têm o central internacional croata, o Vida, e ainda o Antunes. Por isso será tudo menos fácil."

Paulo Fonseca não lê jornais em Kiev, onde reside e orienta os trabalhos do Shakhtar - o clube de Donetsk está longe da sua cidade devido ao conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Porém, apesar de estar na cidade onde o Benfica vai jogar, não consegue aperceber-se do ambiente em torno do encontro desta noite. "Não leio jornais porque não percebo bem o ucraniano [risos], mas acredito que pensem neste jogo como importantíssimo", sustenta. A finalizar: "Vai estar muito frio, mas isso não terá influência

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG