Multas superiores a 16 mil euros para o Benfica por incidentes com Feirense

Feirense também foi multado em 1148 euros

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) aplicou um conjunto de multas ao Benfica com valor global superior a 16 mil euros, por incidentes no jogo no terreno do Feirense, na sexta-feira.

O arremesso de tochas para o relvado e momentos distintos, num caso atrasando o início do encontro da 24.ª jornada da I Liga em quase cinco minutos e noutro provocando uma paragem superior a um minuto, o arremesso de um petardo para junto do guarda-redes do Feirense, o lançamento uma cadeira e o comportamento incorreto do público, nomeadamente nos festejos do golo da vitória (1-0), valeram 16.678 euros de multas, de acordo com o mapa de castigos divulgado hoje pelo CD.

O CD multou também o Feirense em 1.148 euros, pela entrada e permanência de materiais pirotécnicos no estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira.

Noutro comunicado, o CD já tinha anunciado a abertura de um processo disciplinar por incidentes ocorridos num jogo da I Liga, sem especificar o encontro em questão. Além do arremesso de objetos, a queda da proteção de uma bancada aquando dos festejos do golo do Benfica provocou ferimentos num repórter fotográfico.

O órgão disciplinar aplicou multas de valor superior a cinco mil euros ao Sporting e mais de dois mil ao FC Porto por irregularidades diversas, nos jogos com o Vitória de Guimarães e com o Nacional, respetivamente.

No campo das suspensões, o CD confirmou as ausências de Bruno César e de Alan Ruiz no próximo jogo do Sporting, que visita o Tondela na 25.ª jornada. Os beirões não poderão contar com Wagner.

Jogadores suspensos:

I Liga:

- Um jogo:

Bruno César (Sporting)

Alan Ruiz (Sporting)

Tobias Figueiredo (Nacional)

Wagner (Tondela)

Mikel Agu (Vitória de Setúbal)

Nuno Pinto (Vitória de Setúbal)

II Liga:

- Um jogo:

Luís Ferraz (Vizela)

Feliz Vaz (Famalicão)

Mike Moura (Sporting da Covilhã)

Bura (Académico de Viseu)

Rui Raínho (Freamunde)

Diogo Santos (Santa Clara)

Luís Tinoco (União da Madeira)

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.