Litígio entre Braga e empresário atrasa Rafa e pode acabar na justiça

Os minhotos dizem que empresário António Araújo não tem direito à comissão de 1,6 milhões de euros, mas agente garante que foi pedida intermediação. Benfica à espera...

A transferência de Rafa Silva do Sporting de Braga para o Benfica está num impasse devido à exigência de António Araújo, empresário do jogador, que exige o pagamento de 1,6 milhões de euros - correspondente a 10% do valor do negócio - relativo a serviços de intermediação. Por sua vez, os bracarenses garantem que os serviços de agenciamento não foram requeridos e que o negócio foi feito diretamente entre presidentes. Enquanto isso, o Benfica está à espera do fim deste braço-de-ferro para poder apresentar e inscrever o jogador.

Os bracarenses emitiram ao final da tarde de ontem um comunicado no qual confirmam que o acordo entre os dois clubes contempla o pagamento de 16 milhões de euros por 90% do passe de Rafa Silva, acrescentando que o clube da Luz terá "adquirido em separado à Onsoccer International [empresa de Araújo] os 10% dos direitos económicos que a esta pertencem", que na prática fazem ascender a transação a 17,6 milhões de euros.

Nesse sentido, o Sp. Braga entende que todos os trâmites da transferência foram concluídos no dia 19 de agosto, mas revelou que, posteriormente, a empresa do empresário de Rafa quis "impor à Benfica SAD a inclusão de uma cláusula no contrato de transferência através da qual as partes reconheceriam que no acordo entre clubes existiu intermediação de Jussara Mary da Silva Correia [mulher de António Araújo, titular da empresa] em representação da SC Braga SAD". E foi aqui que se iniciou o impasse, pois os minhotos garantem que tal serviço de intermediação "não corresponde à verdade".

A empresa de António Araújo respondeu depois também em forma de comunicado em que "repudiam veementemente" a posição assumida pelo Sporting de Braga, considerando que o teor das afirmações são "falsas, levianas e totalmente desconformes com a realidade e com os compromissos contratuais assumidos por aquela SAD". Nessa nota, a Onsoccer International garante que a foi habilitada "prévia e contratualmente" pelo Sp. Braga "para intermediar a transferência entre clubes", acrescentando que "única e exclusivamente, por via da sua ação, em representação e no interesse da Sporting Clube de Braga SAD, foi possível obter um princípio de acordo com a SL Benfica SAD". Nesse sentido, considera ainda que os bracarenses procuram "justificar publicamente o incumprimento das suas obrigações contratuais, após ter como certos os resultados pretendidos". Por tudo isto, a Onsoccer "reserva-se no direito de agir judicialmente contra a administração da Sporting Clube de Braga, Futebol SAD por tão graves e difamatórias afirmações".

Refira-se que no seu comunicado, os minhotos reforçaram a ideia de que não existe direito ao pagamento, formulando o desejo de "que o impasse criado pela Onsoccer International possa ser ultrapassado a fim de se poder dar por concluída a transferência do jogador Rafa Silva". No entanto, inicialmente, os bracarenses haviam emitido um primeiro comunicado, posteriormente retificado, no qual diziam algo diferente: "Esperamos que a Benfica SAD, a qual juntamente com o presidente Luís Filipe Vieira se tem pautado por um comportamento exemplar ao longo de todo o processo de transferência, consiga ultrapassar a imposição feita pela Onsoccer International." Esta frase foi, no entanto, tirada do comunicado...

Rafa já escolheu casa em Lisboa

Ao que o DN apurou, o Benfica confia que este impasse será resolvido em breve. Aliás, fonte próxima do processo diz que, apesar do impasse, a transferência de Rafa para a Luz não está em perigo, acrescentando mesmo que o jogador já realizou os exames médicos, tem tudo acordado para um contrato válido por cinco temporadas e até já escolheu casa na região de Lisboa.

É bom lembrar que António Salvador e Luís Filipe Vieira, respetivamente presidentes do Sp. Braga e Benfica, chegaram a acordo para a transferência de Rafa Silva, de 23 anos, na passada quinta-feira à noite, tendo o processo se arrastado desde então, embora o jogador não tenha sido utilizado pelos minhotos no jogo com o Rio Ave, disputado na segunda-feira.

O jogador aceitou as condições propostas pelo Benfica, que assim ganhou a corrida ao FC Porto e ao Zenit. Aliás, o clube russo chegou a propor um salário de 3,5 milhões de euros ao futebolista campeão europeu pela seleção nacional, que o próprio recusou por não pretender jogar no campeonato da Rússia. Rafa Silva tem-se treinado às ordens de José Peseiro, treinador bracarense, à espera de luz verde para se mudar definitivamente para a Luz, algo que tem de acontecer até quarta-feira, dia em que fecha o mercado de transferências.

Carcela perto do Granada

O Benfica está perto de acertar o empréstimo de Carcela aos espanhóis do Granada. O extremo não faz parte dos planos de Rui Vitória para esta época e face à abundância de extremos a saída do marroquino acaba por ser uma forma de manter o jogador em atividade. Também o avançado Nélson Oliveira está em negociações para assinar pelo Norwich, do segundo escalão inglês, por empréstimo.

Em contrapartida, os encarnados ficaram ontem com mais um problema entre mãos, pois o médio Filip Djuricic foi devolvido pela Sampdoria, após um mês de empréstimo. O sérvio teve uma conversa com o novo treinador do clube italiano, Marco Giampaolo, que lhe disse que ia jogar pouco, razão pela qual Djuricic pediu para sair, tendo agora de procurar um novo clube. O médio junta-se assim aos casos de Taarabt, Bilal Ould-Chikh e Rúben Amorim, jogadores que ainda procuram colocação para a nova época.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG