Erros atrás de erros ditam uma das piores noites europeias

Cinco golos do Basileia surgiram após lances muito infelizes da defesa do Benfica. Apuramento muito complicado

O Benfica saiu vergado da Suíça, depois da humilhante derrota por esclarecedores 5-0 perante um muito modesto Basileia, e o apuramento para a próxima fase da liga milionária está cada vez mais complicado.

Rui Vitória, treinador das águias, tinha prometido ir "roubar" os três pontos que perdeu em casa na ronda inaugural, com o CSKA, a algum lado. Muito pensaram que seria ontem em Basileia, até porque, teoricamente, os helvéticos são a equipa mais fraca deste grupo. Contudo, ontem foram muito superiores e interromperam uma série de 11 jogos sem vencer na Liga dos Campeões.

Para se ter a dimensão da muito pesada derrota que o Benfica sofreu em solo helvético, será preciso recuar até 2010 para encontrar uma resultado assim, quando os encarnados perderam com o FC Porto por idêntico resultado. No que às competições europeias diz respeito, o 5-0 de ontem é também o segundo pior resultado de sempre das águias, igualando o registo que o Dortmund aplicou aos encarnados em 1963, para a então Taça dos Clubes Campeões Europeu. Pior mesmo só os 7-0 que o Benfica sofreu em 1999 para a Taça UEFA, aos pés do Celta de Vigo.

E como se explica o que aconteceu? Erros atrás de erros, não só dentro de campo mas essencialmente no banco, onde estava o líder Rui Vitória.

É verdade que ao intervalo o Benfica tinha 70% de posse de bola, mas também perdia por 2-0, com um golo logo ao segundo minuto e outro aos 20". Os dois por erros defensivos, mas quem começou a errar ontem foi mesmo o seu treinador.

Primeiro porque notou-se desde bem cedo que faltava mais uma unidade no meio-campo, por exemplo, em detrimento de um avançado. Os encarnados não conseguiam encontrar espaços para desenvolver as suas jogadas, sobretudo porque o Basileia tinha muita gente no centro, o que levava as águias a fugir para as alas, onde ontem nem Cervi, Zivkovic ou sequer Salvio, este no segundo tempo, encontravam soluções. Depois, já desde o início da época se percebeu que a dupla Luisão e Jardel está a anos-luz do que foi há duas temporadas. Ontem voltaram a cometer demasiados erros, que os helvéticos não perdoaram. E certamente os adeptos se perguntarão: por que razão Rúben Dias saiu do onze depois de dois jogos positivos ao lado do capitão frente ao Boavista e Paços de Ferreira? E finalmente a falta de opções para Pizzi. O médio está fora de forma, ontem errou passes atrás de passes (um deles deu o quarto golo ao Basileia), mas não tem substituto... até porque Krovinovic, que tem dado boas indicações nas competições internas, nem inscrito foi na Champions.

Ao intervalo as águias perdiam então por 2-0, mas os dados estatísticos estavam do seu lado, pelo que se esperava outro tipo de reação no segundo tempo. Rui Vitória optou por retirar Cervi e lançar Salvio, mas a verdade é que a equipa nunca se encontrou e pior ficou quando Wolfswinkel fez o 3-0 de penálti aos 60".

Se os muitos emigrantes no St.Jakob-Park levavam as mãos à cabeça, pior ficaram quando dois minutos volvidos André Almeida era expulso. As águias perderam a cabeça e o Basileia acreditou que podia fazer muitos mais golos. Fez mais dois, aos 69" e 76", mas a verdade é que Júlio César acabou por ser fundamental para as águias não saírem vergadas de uma derrota ainda mais histórica.

É claramente um Benfica em crise, sem ideias e sem soluções, muito menos para um nível de Champions. Este resultado põe claramente em xeque a passagem à próxima fase e o próximo jogo nesta liga milionária é diante do Manchester United. É momento de repensar, mas a verdade é que as (boas) escolhas no plantel não abundam.

Exclusivos