Comité de Disciplina da UEFA diz que vouchers não são crime

O organismo que tutela o futebol europeu rejeitou o recurso apresentado pelo Sporting

O Benfica anunciou esta quarta-feira que o Comité de Apelo da UEFA rejeitou o recurso interposto pelo Sporting sobre a legalidade dos vouchers entregues a árbitros e delegados da Liga após os jogos da equipa principal e equipa B.

Esta decisão daquele organismo surge depois de os leões terem recorrido da decisão do Comité de Controlo, Ética e Disciplina da UEFA, proferida a 21 de novembro de 2016, de não instaurar qualquer processo disciplinar ao Benfica.

Esta é a decisão de última instância na UEFA, que confirma assim a legalidade das ofertas que eram feitas pelo Benfica.

Numa nota publicada no site oficial, os encarnados lembram que o Comité de Apelo "vem, assim, corroborar todas as anteriores decisões tomadas pelas diversas instâncias desportivas nacionais (Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol e Tribunal Arbitral do Desporto)".

"Uma vez mais, sem surpresa, veio a confirmar-se a legalidade de procedimentos do Sport Lisboa e Benfica com esta prática institucionalizada de cortesia, efetuada sempre após os jogos, de forma pública e independente das vicissitudes e resultados dos jogos que o SLB disputou, quer ao nível das competições nacionais, quer ao nível das competições internacionais", acrescenta a mesma nota do Benfica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG