O avançado que não joga 90 minutos há quase um ano marcou e o Benfica ganhou

Encarnados receberam e venceram o Tondela, na 13.ª jornada da I Liga (2-0). O rei das assistências, Darwin, ofereceu mais dois golos - Seferovic e Waldschmidt. Próximo jogo do campeonato é com o FC Porto.

O Benfica precisou de alguma paciência (e resiliência) para vencer o Tondela (2-0) na 13.ª jornada da I Liga e não deixar fugir o Sporting na liderança do campeonato. Chegar ao intervalo com nove remates (três deles à baliza e apenas um com real perigo) face a apenas um do Tondela é um cenário de domínio encarnado enganador. Os golos só chegaram no segundo tempo, por Seferovic e Waldschmidt. Ambos a passe de Darwin, o rei das assistência da I Liga (sete).

O Tondela de Pako Ayestarán - com Ricardo Alves, Khacef e Jaquité de regresso - apresentou-se num esquema defensivo bastante sólido e com um meio campo reforçado, o que tornou a missão ofensiva da equipa de Jesus mais difícil. Com Rafa Silva no flanco esquerdo e Everton na direita, algo pouco habitual esta época, o Benfica foi ganhando intensidade e metros em campo com o passar dos minutos e criando momentos de grande pressão sobre a estrutura defensiva dos tondelenses.

Pizzi, Gilberto, Everton e Otamendi tiveram tudo para adiantar os da Luz no marcador, mas revelaram alguma precipitação na hora do remate. A única oportunidade de golo digna desse nome pertenceu a Darwin. Babacar Niasse impediu o golo do uruguaio com uma enorme defesa.

O jogo chegou ao intervalo sem golos. No regresso a águia voltou de olho na baliza. Aos 53 minutos Seferovic marcou e mal festejou. O fiscal de linha levantou a bandeirola, sinal de que o suíço estava em fora de jogo no momento em que recebeu a bola de Darwin, mas viu depois o VAR confirmar o golo. E assim aos soluços a equipa de Jesus colocou-se em vantagem.

Foi o sétimo golo do suíço em 10 jornadas e logo no encontro de regresso após estar infetado com covid-19. Ele que esteve 11 dias de quarentena e fez apenas três treinos antes de saltar para o onze titular. Seferovic começou como quarta opção para o ataque é agora o melhor marcador do Benfica no campeonato, tendo inclusive igualado o melhor registo do ano passado (9 golos) e com menos 26 jogos.

Depois de sofrer golo o Tondela atreveu-se mais na saída com a bola e aos 74 minutos Salvador Agra bem tentou incomodar Vlachodimos, mas o remate saiu para fora. Os encarnados foram controlando as operações. A bem da verdade a procura do segundo golo era evidente, mas pouco efusiva.

Aos 77 minutos Jesus tirou o autor do golo para fazer entrar Luca Waldschmidt. Uma substituição normal não fosse o facto de isso significar que há quase um ano que Seferovic não joga 90 minutos. Há 35 jogos que é substituído.

O encontro animou nos últimos minutos. Vlachodimos segurou a vitória aos 86 minutos ao impedir o golo de Murillo e o Benfica conseguiu chegar ao 2-0. Darwin ainda viu o árbitro anular-lhe um golo antes de servir Waldschmidt para o segundo golo da noite.



Depois de escorregar nos Açores na entrada do Ano Novo (1-1, com o Santa Clara) e antes de visitar o campeão num clássico que se espera escaldante na próxima jornada, era importante para a equipa de Jorge Jesus não perder pontos, minutos depois de mais um triunfo do Sporting (na Madeira, com o Nacional) que a podia colocar a sete pontos de distância.

Com os três pontos arrecadados na receção ao Tondela, o Benfica fica a quatro do líder do campeonato, antes de enfrentar o FC Porto (sexta-feira, às 21.00).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG