Atleta de Tonga volta a desfilar em tronco nu: "Não vou congelar"

Nem as temperaturas negativas que se fazem sentir em Pyeongchang chegaram para dissuadir Pita Taufatofua, que já fora o porta-estandarte de Tonga nos Jogos Olímpicos de Verão no Rio de Janeiro de voltar a surgir sem camisa na cerimónia de abertura dos JO de Inverno.

Quando desfilou segurando a bandeira de Tonga, em tronco nu e oleado, na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, Pita Taufatofua tornou-se uma estrela. Agora, o atleta repetiu a indumentária - ou falta dela - na cerimónia de abertura dos Jogos de Inverno em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Isto apesar das temperaturas negativas.

"Não vou congelar. Eu sou de Tonga. Navegamos pelo Pacífico. Isto não é nada. É um pouco mais quente estar no Rio do que aqui, mas quando se consegue representar o país é sempre um bom momento", disse o porta-estandarte de Tonga, onde a temperatura média é de 27 graus, aos canais de comunicação de PyeongChang2018. Naquela região os termómetros variam agora entre os quatro graus e os 10 graus negativos.

Aos 34 anos, Taufatofua trocou o taekwondo pelo esqui de fundo e conseguiu ser qualificado para os Jogos de Pyeongchang. Desde a sua aparição muito notada no Rio, o atleta recebeu ofertas para desfilar, mas como modelo. E até para pequenos papéis em Hollywood.

Segundo a BBC, Taufatofua preferiu encontrar o seu novo "grande desafio" desportivo. E no mês passado conseguiu a qualificação na Islândia para os Jogos de Pyeongchang em esqui de fundo.

"Cada vez que esquio sinto que morro um pouquinho por dentro", explicou Taufatofua, antes de admitir: "A queimadura começa e temos de a suportar durante uma hora ou mais. Ainda não houve uma competição em que não tenha sentido dor".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG