As menos de 72 horas que desagradam a Conceição

FC Porto é o primeiro grande nesta época a ter menos de três dias completos de repouso após um jogo europeu e o técnico diz que os dragões saem prejudicados em relação aos rivais

Quando o FC Porto entrar em campo no Dragão, nesta noite (20.30, Sport TV1), para defrontar o Belenenses, ainda só terão passado 71 horas desde o final do jogo da Liga dos Campeões contra o RB Leipzig, na quarta-feira passada, às 21.30. Ou seja, menos uma hora do que o mínimo considerado saudável pela FIFA (72 horas). No final do jogo com os alemães, o técnico portista tratou logo de avisar que achava "inadmissível" ter de jogar para o campeonato neste sábado. Ontem, voltou a manifestar "algum desagrado" com a calendarização da Liga para esta 11.ª jornada: "Não vou mudar a minha opinião. Podíamos jogar domingo às 16.00 e tínhamos mais tempo para recuperar."

Ao contrário do FC Porto, o Benfica entra amanhã em campo, em Guimarães (às 18.00) com mais de 116 horas de recuperação desde o jogo em Manchester, na terça-feira passada, e fá-lo contra o adversário mais prejudicado desta jornada (68 horas de intervalo, ver caixa). E o Sporting, que recebe o Sp. Braga também no domingo, mas às 20.15, tem mais duas horas ainda de recuperação do que as águias, para jogar contra um adversário que cumpre "à queima" o tal mínimo de 72 horas - que, no caso dos bracarenses, é mesmo um direito regulamentar.

É sobretudo esta diferença grande em relação aos rivais diretos na luta pelo título que incomoda o treinador do FC Porto para esta jornada. "Sp. Braga, Vitória e o FC Porto são as equipas mais prejudicadas", sublinhou Sérgio Conceição, no lançamento do jogo desta noite.

O 1º caso da época entre grandes

Aqui chegados, importa esclarecer que todos os horários dos jogos da jornada respeitaram o Regulamento de Competições da Liga, naturalmente. E o que diz o regulamento? Basicamente, salvaguarda apenas um intervalo de tempo em relação às equipas que tenham jogado à quinta-feira nas competições europeias. E esse difere caso a equipa tenha jogado em território nacional (como foi o caso do V. Guimarães) ou no estrangeiro (Sp. Braga). O intervalo mínimo de 72 horas entre o final do jogo europeu e o início do jogo seguinte para a prova nacional aplica-se apenas a quem tenha jogado fora de Portugal na semana europeia (art. 44.º, n.º 5, alínea d).

Por isso, o Sp. Braga, que jogou na Bulgária, entra em Alvalade apenas na noite de amanhã, cumpridas essas 72 horas, enquanto o V. Guimarães, por ter jogado em casa com o Marselha na noite de quinta, apenas tem direito (art. 44.º, n.º 5, alínea e) a não jogar "na sexta-feira e sábado seguintes" ao jogo internacional.

Em relação aos clubes que participam na Liga dos Campeões, com jogos às terças ou quartas-feiras, os intervalos concedidos pelo regulamento dizem respeito apenas às jornadas que antecedem os compromissos europeus (quem joga à terça na UEFA pode antecipar para sexta o jogo nacional; quem joga à quarta pode antecipar para sábado).

Ainda assim, há um argumento factual a suportar o "desagrado" portista: o FC Porto é o primeiro dos três grandes nesta época a ter de entrar em campo menos de 72 horas após terminar um jogo europeu e Sérgio Conceição não deixou passar a oportunidade de marcar posição.

Clubes acompanham a marcação

Da parte da Liga de Clubes, ao que o DN apurou, os reparos do treinador portista são vistos como um "não caso". Até porque a marcação dos jogos ao longo da época é feita com o acompanhamento de uma comissão permanente, em que os clubes estão representados, que ajuda a zelar pelo "espírito de equidade" ao longo da época. Ou seja, embora um clube possa ser "prejudicado" numa jornada e outros noutras, o objetivo é ter um balanço equilibrado na temporada, numa tarefa (a marcação de jogos) que obedece a vários condicionalismos, desde os jogos das provas europeias aos interesses dos operadores televisivos, passando pelas atividades das seleções e outras competições internas.

No caso desta jornada, saiu a fava ao FC Porto, que, equacionados todos os interesses em jogo, viu a partida com o Belenenses marcada para esta noite, enquanto Benfica e Sporting só poderiam mesmo jogar amanhã, por defrontarem V. Guimarães e Sp. Braga. Até porque segunda-feira já é data reservada às seleções, que vão entrar em cena.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG