Aposta na nova geração e uma enorme crença em João Sousa

Organização fez o primeiro convite a Alex de Minaur, uma das novas pérolas do ténis. Diretor João Zilhão com esperança de que este seja o ano do melhor tenista português

Foi ontem oficialmente apresentada a quarta edição do Millennium Open, que se realizará entre 28 de abril a 6 de maio, no Clube de Ténis do Estoril, e a surpresa foi a atribuição do primeiro wild card para o quadro principal, concretamente a Alex de Minaur. O convite ao australiano vem assim no seguimento do que foi pensado para a edição deste ano: a aposta em jovens da considerada NextGen do ténis mundial. A organização, ainda assim, tem crença em ver João Sousa como um dos protagonistas principais da prova.

Aos 19 anos, o australiano, 130.º do ranking ATP, é considerado um dos valores emergentes da modalidade e o próprio diretor da prova, João Zilhão, já o vê como "um futuro número um mundial", elogiando o seu "excelente" ténis.

Alex de Minaur, que reside e treina em Espanha, junta-se assim a outros grandes nomes da nova geração do ténis mundial que marcarão presença no Estoril, como são os casos de Daniil Medvedev (22 anos), atual 52.º do ranking ATP, do norte-americano Frances Tiafoe, que aos 20 anos já entrou no top 70 (63.º), ou do grego Stefanos Tsitsipas, que fecha esse mesmo top, com 19 anos. Apesar de mais experientes neste tipo de andanças, há outros dois nomes da nova geração que fizeram questão de marcar presença no torneio português, como são os casos do australiano Nick Kyrgios, 20.º do ranking aos 22 anos, ou do britânico Kyle Edmund, 26.º, com 23 anos.

João Zilhão mostrou-se orgulhoso pelo cartaz até agora garantido, destacando o papel que estes jovens poderão ter não só no torneio português ATP, mas também no futuro da modalidade.

"Estamos muito contentes com o que temos feito até ao momento. Vamos para o quarto ano do evento, que felizmente não tem parado de crescer e está bem sustentado. É um extraordinário momento de família, de música, e os jovens podem ter um primeiro contacto com o ténis. Ver aqui nomes tão jovens da modalidade também faz que o ténis seja visto de outra forma e será bom não só para o torneio como para o próprio ténis", disse.

Alex de Minaur é apenas o primeiro convite de três que a organização tem para atribuir. No entanto, o diretor da prova ainda quer esperar mais um pouco antes de decidir pelos derradeiros wild cards. "Temos pedidos de convites de top 80 mundiais que não vamos dar. Há jogadores como Nishikori, Raonic, Djokovic, Wawrinka, que têm estado lesionados e a qualquer momento pode chegar um pedido desses", disse Zilhão, abordando também o wild card previsto para um português.

"Temos de ajudar o ténis português. Temos excelentes tenistas, que precisam da nossa ajuda: o Gastão Elias, o João Domingues, o Gonçalo Oliveira e o Pedro Sousa. Vamos ver quem está em melhor forma para atribuir", confessou João Zilhão.

Esperança no melhor português

Quem marcará presença em nova edição do Millennium Open será o português João Sousa, atual 80.º do ranking, mas que nunca fez um brilharete no torneio nacional. João Zilhão, no entanto, está confiante na prestação deste ano daquele que é considerado o melhor tenista português de sempre.

"O sonho do João Sousa é ganhar o Millennium Estoril Open. Ninguém quer mais do que ele, mas a verdade é que o circuito não é fácil. Há dois anos perdeu com o campeão em título [Nicolás Almagro], no ano passado cedeu diante do jogador que cedeu [Bjorn Fratangelo]. Tenho um feeling de que ele neste ano vai dar uma alegria aos portugueses", salientou João Zilhão sobre João Sousa, que nestas últimas semanas tem vindo a demonstrar algum do seu melhor ténis, tendo sido afastado recentemente no Masters 1000 de Miami apenas nos oitavos-de-final da competição.

A edição deste ano, que foi ontem então apresentada na Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, terá transmissão na TVI e na TVI24.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG