Alô Sporting? Daqui a terra e é hora de descer

Líder sai envergonhado de Vila do Conde, depois de sofrer três golos em 15 minutos, e pode ser hoje ultrapassado no primeiro lugar

E, à quinta jornada, o líder desceu à terra. Depois de quatro vitórias consecutivas e uma bela exibição em Madrid, o Sporting caiu com estrondo na deslocação a Vila do Conde, onde o Rio Ave fez uma bela exibição e chegou ao intervalo a vencer por 3-0, aproveitando a ineficácia coletiva do adversário, onde os reforços ainda estão longe de conseguir justificar a titularidade. Os leões desperdiçaram a hipótese de dilatar o avanço sobre o FC Porto e podem perder hoje o primeiro lugar da Liga, bastando para tal que haja um vencedor na Luz (Benfica ou Sp. Braga).

Com mais uma invasão leonina nas bancadas, o Rio Ave mostrou desde o pontapé de saída ao que ia: explorar ao máximo o lado esquerdo da defesa leonina, onde Bruno César ocupou o lugar de lateral, sobretudo através da rapidez de Gil Dias. E, apesar de ter apanhado uns sustos iniciais, a equipa de Jorge Jesus não ligou muito ao assunto, até porque rapidamente assumiu o controlo do jogo, graças a Adrien e William. No entanto, lá na frente, os "corpos estranhos" Alan Ruiz e André demoraram a dar seguimento ofensivo ao domínio da equipa e, quando entraram no jogo, não conseguiram fazer golo: o argentino num belo pontapé de longe que Cássio defendeu como pôde; o brasileiro, isolado, a rematar à figura do guardião vila-condense.

Não querendo entrar num ritmo muito forte, o Sporting acabou por pagar o preço frente a um adversário "atrevido e arrogante", como prometera o técnico Nuno Capucho, e sofreu três golos em 15 minutos. No primeiro, aos 29 minutos, Roderick recuperou a bola à entrada do meio-campo e conseguiu chegar à linha, depois de superar Adrien e passar por Coates. Daí, centrou rasteiro para o coração da área, onde Tarantini, um habitual "caça-leões", desviou com classe para a baliza - foi o seu terceiro golo ao Sporting.

Ainda mal refeitos da adversidade, os leões, que entraram nos Arcos com apenas um golo sofrido, consentiram outro aos 36", quando Gil Dias arrancou em lance individual e desmarcou Guedes que, de ângulo apertado, não falhou o remate de pé direito. E Patrício não fica isento de responsabilidades.

A conta que Gil fez

Sem cobertura dos colegas, sobretudo do ineficaz Joel Campbell, Bruno César era apanhado frequentemente em contra-pé e foi assim que surgiu o terceiro, a dois minutos do descanso. Guedes escapou sem oposição pela direita do seu ataque, teve tempo para olhar para a área e cruzar ao segundo poste, onde Gil Dias se limitou a encostar o pé à bola - foi a estreia do extremo a marcar na Liga. Desde 2013, frente ao Videoton, que os verde e brancos não perdiam por tantos ao intervalo.

Não tendo conseguido marcar nos primeiros minutos do segundo tempo, para o qual Jesus lançou Bryan Ruiz e Bas Dost, o Sporting foi esbarrando na boa organização defensiva dos da casa. O costa-riquenho ainda dispôs de uma boa ocasião em "tempo útil" (62"), mas o remate saiu ao lado e o melhor que os verde e brancos conseguiram, já com Markovic em campo, foi reduzir a desvantagem através do holandês Dost, que desviou um passe de Gelson de cabeça (82"). Mas o mal estava feito e o Rio Ave somou justamente os três pontos, subindo ao quinto lugar e prometendo uma época de qualidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG