Acordo entre clubes e a UEFA não prevê Superliga Europeia

A Associação de Clubes Europeus anunciou que chegou a acordo com a UEFA para a reforma das competições europeias, pondo de parte desde já uma Superliga como vinha sendo falado

A Associação Europeia de Clubes (EAC) anunciou esta terça-feira, em Atenas, ter chegado a acordo com a UEFA para a reforma das competições europeias de clubes, colocando assim termo ao projeto de criação de uma Superliga.

"Penso que estamos completamente de acordo no que diz respeito à reformulação da Liga dos Campeões e da Liga Europa para o ciclo 2018-2021", referiu o presidente da EAC, Karl-Heinz Rummenigge, à saída de uma reunião com o diretor de competições da UEFA, Giorgio Marchetti.

Karl-Heinz Rummenigge, também presidente do campeão alemão Bayern Munique, manifestou-se satisfeito com o projeto de reforma competitiva, já discutido por 155 representantes dos clubes em sede da EAC, e pela renovação dos laços com a UEFA.

"Estamos felizes em permanecer sob a égide da UEFA e em participar na reforma das competições, que é um desejo nosso. Como sequência deste acordo, não há nenhuma discussão sobre o tema Superliga", referiu Karl-Heinz Rummenigge.

As alterações a incutir na Liga dos Campeões, ainda de acordo com Rummenigge, visam tornar a prova mais cativante e competitiva e a reforma irá beneficiar, principalmente, as equipas médias e não apenas os maiores clubes.

Marchetti já tinha rejeitado na quinta-feira a ideia de criar uma Superliga europeia com 20 clubes, embora tivesse admitido a necessidade de rever o formato competitivo das provas organizadas sob a égide da UEFA.

Entre as reformas já aprovadas em dezembro de 2016 pela UEFA para o ciclo 2018-2019 da Liga dos Campeões, destaca-se a qualificação direta de quatro equipas dos quatros campeonatos europeus com o melhor 'ranking'.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG