AC Milan já não pertence a Berlusconi

Negócio foi feito a troco de 740 milhões de euros. 31 anos depois, o colosso italiano deixa de pertencer ao polémico Silvio Berlusconi

31 anos depois, o AC Milan deixou de pertencer à família Berlusconi, após o antigo primeiro-ministro italiano ter vendido 99.9% das ações que detinha através da empresa Rossoneri Sport Investement Lux ao consórcio chinês Suning Commerce Groups's a troco de 740 milhões de euros.

Os contratos foram assinados na manhã desta quinta-feira, passando também o consórcio chinês a deter os direitos televisivos da Série A italiana.

Refira-se que durante as negociações, que se arrastaram nos últimos meses, tem sido falada a influência de Jorge Mendes como conselheiro do grupo asiático.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG