A tática do crocodilo de Lionel Messi que indigna, espanta e diverte o mundo do futebol

Foi Marquinhos, capitão do PSG, que mandou a estrela argentina deitar-se atrás da barreira no livre de Mahrez, no jogo da Champions com o Manchester City. Ideia terá surgido no Brasil, em 2013, por culpa de Ronaldinho Gaúcho.

"Que fazes aí, Messi?", perguntou Neymar no Instagram logo após o jogo com o Manchester City na Liga dos Campeões, que o PSG venceu (2-0, na terça-feira), publicando nas redes sociais uma fotografia do argentino deitado atrás da barreira. A imagem de Lionel Messi no relvado, como quem está a descansar uns minutos depois de ter marcado um golaço, correu mundo, para espanto de uns e indignação outros. Ver o argentino, seis vezes melhor do mundo e um dos melhores de sempre, com tarefa tão pouco habitual e sujeito a ser pisado é, no mínimo, estranho.

Durante o jogo poucos tomaram atenção ao insólito, até a imagem se tornar viral e dar origem a memes e comentários infinitos nas redes sociais. Num vídeo é possível ver e ouvir Marquinhos a chamar "Leo, Leo" e a pedir-lhe para se deitar no relvado atrás dos jogadores, que estavam a fazer barreira quando Riyad Mahrez se preparava para bater um livre.

Para espanto de Neymar e do português Nuno Mendes (ver imagem), o argentino nem hesitou e acatou ao pedido do capitão do PSG, que assim viu a sua autoridade reforçada num balneário cheio de egos e estrelas.

Mas há quem se insurja contra o treinador parisiense. Foi o caso de Rio Ferdinand. "Não podíamos acreditar. Ele é um dos melhores da história, senão o melhor. No momento em que Pochettino o convidou a deitar-se, alguém deveria ter aparecido e dito "não, não, não, isso não pode acontecer com o Messi". Não é possível, é desrespeitoso. Não deveria ter acontecido. Se eu estivesse na equipa, diria para ele se levantar e que me deitaria no lugar dele. Não consigo ver o Messi deitado assim. Ele não é dos que suja a camisola. Isto não é algo que o Messi faz", exclamou o antigo internacional inglês na televisão BT Sport, onde é comentador.

Há quem veja no gesto do argentino "humildade" e "respeito", mas a maior parte diverte-se nas redes sociais com as imagens do lance. "Sobrou para o novato"- é um dos comentários mais usados e mais vistos pelos internautas, referindo-se ao facto de Messi ter chegado a Paris quase dois meses, depois de 21 anos no Barcelona Outro dos comentários faz referência ao ordenado do jogador: "35 milhões deitados."

O assunto deve dominar a conferência de imprensa de antevisão do jogo de domingo com o Rennes, no sábado, onde o treinador Mauricio Pochetino deverá dar a sua versão dos acontecimentos.

Messi riu-se da tática de Brozovic...

O lance que ficou eternizado como a tática do crocodilo terá tido origem no Brasil por culpa de Ronaldinho Gaúcho, que se notabilizou com os livres rasteiros a passar por baixo da barreira. A estranha tática foi adotada pela primeira vez - tanto quanto foi possível apurar - na Série B do Brasileirão, em 2013, quando o Figueirense recebeu o Palmeiras. Jorge Valdívia avaliava a melhor forma de marcar um livre quando Ricardinho disse a Thiego (defesa-central que morreu na queda do avião da Chapecoense em 2016) para saltar o mais alto que pudesse e escorregou de forma a reforçar a barreira ao deitar-se atrás dela.

Na prática não deu em nada e Valdívia marcou de outra forma, mas Ricardinho foi saudado por todo o balneário pela "genialidade" da ideia. O jogador garantiu que o gesto foi pensado e teve em conta os perigos inerentes: "Eu fiquei a uma certa distância para não correr o risco de ser pisado por alguém da barreira. O único problema é a mão, porque é preciso escondê-la bem para não bater na bola."

A tática defensiva ganhou maior proporção quando Brozovic do Inter Milão a fez num jogo da Liga dos Campeões com o Barcelona em 2018. Percebendo que Luis Suárez ia chutar rasteiro, o croata atirou-se para o chão para formar uma barreira de emergência atrás da barreira principal. A iniciativa de Brozovic provou ser bem-sucedida quando o remate rasteiro de Suárez fez ricochete no seu corpo e foi para bem longe da baliza, para a diversão de Lionel Messi, que assistia na bancada, longe de saber que um dia seria ele o crocodilo.

A manobra inteligente, embora algo perigosa, está longe de ser eficaz, mas há muitos jogadores a recorrer a ela nas equipas mais importantes e nas principais competições. Philippe Coutinho, Juan Mata, Joshua Kimmich, Leonardo Spinazzola, Oliver Torres, Douglas Costa, Brahim Diaz, Juan Cuadrado, Koke, Van de Beek, Denis Cheryshev ou Rúben Dias foram alguns dos protagonistas da tática do crocodilo... mas nenhum com o estatuto de Messi.

isaura.almeida@dn.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG