A melhor participação de sempre. Três ouros, dois bronzes e uma prata

Sara Moreira e Patrícia Mamona são campeãs da Europa. Jéssica Augusto e Tsanko Arnaudov foram terceiros. Dulce Félix deu o mote na sexta-feira ao conquistar um segundo lugar. Portugal campeão por equipas na maratona

A Portuguesa ouviu-se ontem por três vezes no Campeonato da Europa de Atletismo ao ar livre, em Amesterdão. Foi a participação mais bem-sucedida de sempre de Portugal em Europeus de atletismo, com um total de seis medalhas, três delas de ouro, uma de prata e duas de bronze. Sara Moreira sagrou-se ontem campeã da Europa (meia-maratona), tal como Patrícia Mamona (triplo salto), num dia em que Tsanko Arnaudov ficou em terceiro lugar no concurso de lançamento do peso.

Em Amesterdão, o dia começou com Portugal campeão europeu da meia-maratona feminina. E a dobrar! Sara Moreira cortou a meta em primeiro lugar e de bandeira na mão com o tempo de 1:10.19 horas e 16 segundos de vantagem sobre a italiana Veronica Inglese (2.ª).

Uma prova na qual Jéssica Augusto foi terceira classificada, tendo Portugal vencido coletivamente a prova da Taça da Europa feminina. Para isso contou ainda o 12.º lugar de Dulce Félix (pontuam as três primeiras). A atleta do Benfica juntou assim a medalha de ouro coletiva à prata conquistada, na sexta-feira, nos 10 mil metros (prova em que Sara Moreira desistiu).

O panorama no setor masculino foi bem menos risonho. Rui Pinto foi o melhor classificado, ao terminar a corrida no 35.º posto.

Patrícia Mamona, a campeã

Já depois de o hino português ter ecoado duas vezes, Patrícia Mamona ainda quis ouvir A Portuguesa de novo e conquistou a medalha de ouro no triplo salto. A atleta do Sporting melhorou também a sua marca pessoal, estabelecendo um novo recorde de Portugal (14.58). O anterior era de 14,52, também fixado por Mamona, em 2012, nos Europeus de Helsínquia.

"Mal consigo acreditar. Estou a tremer e o meu coração bate depressa. Tantas emoções que estão a passar por mim agora...", disse no final a nova campeã da Europa do triplo salto.

Foi uma final peculiar para a atleta portuguesa, que apenas teve três saltos legais. O segundo salto de 13.95 metros, o terceiro de 14.38 metros, terminando a prova com o salto recordista (14.58 metros), que lhe valeu a subida do terceiro para o primeiro lugar. "Senti-me bem e sabia que podia saltar longe. Acho que tive sorte por alguém ter saltado mais do que eu (a meio do concurso), o que me empurrou para saltar mais ainda. Fui obrigada a dar tudo nos últimos saltos - o último era literalmente para tudo ou nada e acabou por ser tudo... Um recorde pessoal, um recorde nacional e uma medalha de ouro, é incrível", desabafou Mamona.

Minenko ficou na segunda posição, apenas com um salto válido, de 14.51 metros - a sete centímetros do de Mamona -, e Papahrístou, que teve todos os saltos validados, terminou com o bronze. Já Susana Costa andou nos lugares do pódio, mas foi 5.ª e registou a sua melhor marca da temporada (14,34 metros).

O triplo salto acabou mesmo por ser de ouro para Portugal, mas no feminino, já que a prova masculina foi uma verdadeira desilusão, com Nelson Évora a falhar o apuramento para a final na sexta-feira.

Arnaudov de bronze no peso

A medalha mais surpreendente acabou por ser a de Tsanko Arnaudov, que conquistou o bronze no lançamento do peso. O atleta de origem búlgara conseguiu o melhor arremesso, com 20,59 metros, completando um pódio em que também ficaram o alemão David Storl (21,31metros) e o polaco Michal Haratyk (21,19 metros).

"Esperava conquistar uma medalha internacional, mas não esperava que fosse hoje (ontem). Só quis competir bem e o meu primeiro lançamento acabou por ser o melhor. Tecnicamente foi um grande lançamento e infelizmente depois não fui capaz de melhorar nos outros cinco. Mas tenho a medalha e estou muito feliz por isso", disse o lançador português.

Destaque ainda para o 5.º lugar de Marta Pen na final dos 1500 metros, prova ganha por Angelika Cichocka.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG