551 sócios do Vitória de Setúbal confirmam Carlos Silva como presidente

Novo presidente dos sadinos afirmou estar consciente da árdua missão que tem pela frente, num clube que se debate com uma crise sem precedentes

Carlos Silva, único candidato às eleições do Vitória de Setúbal, foi esta segunda-feira eleito presidente da direção do clube do Campeonato de Portugal de futebol, para o mandato 2020-2023, com um total de 551 votos.

Numa votação em que foram contabilizados 637 votos, o jurista, de 61 anos, recolheu 87 por cento do total, tendo-se registado 58 boletins em branco e 28 nulos, após o ato que decorreu na Sala do Bingo, do estádio do Bonfim.

Depois de conhecidos o resultado, Carlos Silva, que é na terça-feira empossado no cargo, afirmou estar consciente da árdua missão que tem pela frente, num clube que se debate com uma crise sem precedentes.

"Temos a consciência de que temos pela frente uma tarefa bastante dura. Não vai ser fácil, por isso, apelo à união de todos os associados para podermos salvar o Vitória. Estamos a trabalhar no futuro imediato e, se não tivermos resposta para tal, seguramente não teremos futuro", alertou.

O sucessor de Paulo Rodrigues na presidência do Vitória de Setúbal promete "trabalho, empenho, dedicação, honestidade e verdade" na tentativa de resolver os problemas mais prementes relacionados com os salários em atraso dos jogadores e funcionários.

"Essa é uma preocupação que nos magoa a todos. Haver salários em atraso é uma situação muito preocupante que me condói. Quem trabalha deve receber o seu salário, mas também estamos a apanhar uma situação muito complicada de muitos meses de salários em atraso", lembrou.

Carlos Silva revelou que esteve esta segunda-feira com a equipa principal de futebol, que lidera a série H do Campeonato de Portugal, e tem vários meses de vencimento em atraso.

"Hoje, demos um pequeno alento à equipa de futebol. Pelo menos a nossa presença será constante. Uma palavra de conforto é, muitas vezes, necessária. Se estivermos presentes e falarmos com verdade será mais fácil. Não resolve os problemas essenciais, mas estamos a trabalhar para os resolver", disse.

O dirigente, que no passado esteve ligado ao andebol, pede tempo e compreensão a todos os envolvidos na vida do clube.

"A situação é de tal modo complicada no Vitória que nós precisamos de algum tempo para começar a trabalhar. Pedimos compreensão. Esta equipa apenas promete trabalhar e dar o seu melhor para ajudar o Vitória", referiu.

Esta terça-feira, pelas 19.00, no Fórum Municipal Luísa Todi, Carlos Silva e os restantes órgãos sociais do Vitória de Setúbal são empossados, numa cerimónia que contará com a presença da presidente da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG