Morreu ativista sul-coreana que lutou pelos direitos das mulheres

A antiga primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee Hee-ho, uma ativista que lutou pela democracia e pelos direitos das mulheres ao lado do marido e ex-Presidente Kim Dae-jung, morreu na segunda-feira, 10 de junho, aos 97 anos. O atual Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, afirmou que o país perdeu “uma grande pessoa”, que dedicou a sua vida às mulheres e à democracia, numa publicação partilhada na rede social Twitter. Num testamento, Lee, uma cristã devota, disse que rezaria pelo povo sul-coreano e por uma unificação pacífica com a Coreia do Norte, indicou um funcionário do Centro de Paz Kim Dae-jung, […]

Para saber mais clique aqui: www.delas.pt

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG