Um guia para sobreviver no 13º LEFFEST

Tudo fechado no Lisbon & Sintra Film Festival, de filmes aos convidados. Os bilhetes estão já à venda e o DN propõe um filme por dia numa programação que inclui também um simpósio que traz a Portugal o antigo ministro Yannis Varoufakis. De 15 a 24 deste mês.

A programação do LEFFEST está completa e dia 15 arranca a 13º edição do festival de Paulo Branco, dividido entre Sintra e Lisboa, alguns dos mais festejados filmes do circuito dos festivais de 2019 são apresentados e debatidos numa edição que privilegia a qualidade em detrimento da quantidade.

Um festival que repete convidados mas que propõe sempre uma possibilidade de encontro com o público e os criadores e artistas. A presença mais mediática é a de Willem Dafoe. O ator americano será desta alvo de uma retrospetiva importante, ao mesmo tempo que estará presente na apresentação deO Farol, de Robert Eggers, ovacionado na última Quinzena dos Realizadores em Cannes.

Além de Dafoe, vamos ter de novo em Portugal Wim Wenders, presente para apresentar O Estado das Coisas, clássico do cineasta alemão, agora em versão restaurada, bem como de Lisbon Story, o seu encontro com os Madredeus, igualmente restaurado; Abel Ferrara, que traz consigo o desconcertante Tommaso; Bertrand Bonello, autor do muito esperado A Criança Zombie; Cédric Kahn, com Fête de Familie, com Catherine Deneuve; Corneliu Porumboiu, autor de A Ilha dos Silvos, um dos patinhos feios de Cannes; Elia Suleiman, esperado para a apresentação do seu êxito It Must Be Heaven; Otar Iosseliani, realizador de Chant d'Hiver e a inevitável Fanny Ardant. Novinhos em folha no festival, destaque para o alemão Christian Petzold, cuja obra vai estar retrospetiva; a atriz Virginie Efira; o brasileiro Wagner Moura, autor de Marighella, filme brasileiro por estrear no Brasil e o grego Costa-Gravas, presente para apresentar o brilhante Comportem-se como Adultos.

Para além de um simpósio, intitulado Resistências, cuja curadoria é do famoso advogado Juan Branco, o Leffest tem uma mão cheia de antestreias apetecíveis, com destaque para Passámos por Cá, realismo social inovador de Ken Loach; Uma Vida Secreta, filme de Terrence Malick que saiu de Cannes com muita divisão; Uma Rapariga Fácil, de Rebbeca Zlotowski, apresentado pela cineasta e onde Nuno Lopes é sublime (o filme depois viaja para o Cinecôa, em Foz Côa) e Atlantics, da jovem Mati Diop, Grande Prémio de Cannes e o único filme Netflix no LEFFEST, confirmando-se assim as ausências dos novos de Scorsese e Noah Baumbach.

Antes de mais, o DN propõe um filme por dia da programação já disponível no site do festival, este ano certamente com mais hipóteses de lotações esgotadas e já sem o Monumental, substituído pela sala da Lusófona e pelo Tivoli.

Guia para o Leffest

Dia 15:

Passámos por Cá, de Ken Loach- 21.30- Espaço Nimas

Dia 16:

Os Miseráveis, de Ladj Ly- 21.30 - Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 17:

Violeta, de Kantemir Balagov- 18.45- Espaço Nimas

Dia 18:

Patrick, de Gonçalo Waddington- 21.00- Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 19:

O Que Arde, de Oliver Laxe- 15.00- Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 20:

O Lago dos Gansos Selvagens, de Diao Yinan 15.00 Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 21:

O Farol, de Robert Eggers, 21.00 - Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 22:

O Estado das Coisas (versão restaurada), de Wim Wenders, 21.00 Centro Cultural Olga Cadaval

Dia 23:

Graças a Deus, de François Ozon, 21.30- Sala Fernando Lopes- Universidade Lusófona

Dia 24:

A Dog Called Money, de Seamus Murphy, 14.30- Espaço Nimas