Exclusivo Josh Brolin: "Will Smith? Tudo aquilo deixou-me triste..."

Começa hoje na plataforma da Amazon, a Prime Vídeo, Outer Range, conto de cowboys e buracos negros sci-fi no Oeste contemporâneo americano. Josh Brolin, o protagonista, falou ao DN e entre juras de amor a Alfama não escondeu a sua perturbação perante o caso Will Smith nos Óscares...

Saímos de Outer Range, pelo menos dos primeiros episódios, perdidos no puzzle. Essa é a ideia, mesmo que radical. Uma série de entretenimento para desorientar quem não quer entrar no mistério. A bem dizer, tudo é misterioso nesta produção da produtora de Brad Pitt, aposta com orçamento avantajado da Prime Video. Chegamos a 2022 e há quem em Hollywood dê luz verde para uma série capaz de preservar a sua estranheza e não se subjugar a fórmulas televisivas. Goste-se ou não deste conceito, estamos na presença de um espetáculo de ficção mais próximo de uma linguagem cinematográfica.

Josh Brolin é o protagonista, aqui no papel de Royal Abott, um patriarca de uma família de rancheiros do Wyoming a lutar pela manutenção da herdade e a unidade familiar. Tudo isto numa altura em que um clã vizinho ameaça a sua propriedade e o luto pelo desaparecimento da sua nora acalenta novas fraturas. Como se não bastasse, um mistério sobrenatural parece ainda transtornar todos: um vazio negro acaba por se revelar num dos terrenos dos Abbot. Royal, antes de perder a sanidade, tem de manter todos unidos... Esta criação de Brian Watkins tenta ser uma mistura de neo-western com ficção-científica, uma espécie de apropriação dos universos de David Lynch com os imaginários de Stranger Things, neste caso pensados para um público mais adulto. Pelas primeiras amostras, parece apostar num humor tão irónico como subtil. Com a quantidade de séries de qualidade a chegar ao mesmo tempo, resta saber se conseguirá ser uma série de culto. Josh Brolin parece orgulhoso do seu trabalho quando recebe o DN numa videochamada numa cabana nos EUA, começando com um elogio a Lisboa: "você está numa cidade que adoro. Sou fã de Alfama, estive aí quando era muito jovem e foi das melhores memórias da minha vida! Lembro-me de tudo ser tão barato aí. Conseguia comer tanto marisco por uns trocos! Viajava na altura com uma norueguesa que tinha acabado de conhecer na estação e com um tipo que bebia muitos copos. Caramba! O que me diverti! Alfama é uma parte linda de Lisboa!!"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG