RAP na TVI: "Esta semana, o ex-ministro de Guterres que se portou melhor foi Sócrates"

Na estreia do seu novo programa na TVI, Ricardo Araújo Pereira passou em revista alguns temas da semana, como a detenção de Armando Vara, o Conselho Nacional do PSD ou a ida de Assunção Cristas ao Programa da Cristina.

Armando Vara foi preso, Maria João Rodrigues foi acusada de assédio moral no Parlamento Europeu e Manuel Maria Carrilho "foi filmado a ser cretino". Ou seja, "esta semana, o ex-ministro de [António] Guterres que se portou melhor foi [José] Sócrates", disse Ricardo Araújo Pereira, na estreia do programa "Gente que não sabe estar", gravado no Teatro Villaret perante a audiência.

O programa de humor começou com um alegado comunicado da TVI a demarcar-se de tudo aquilo que for dito, sendo interrompido várias vezes por outros comunicados do género. Num deles a TVI "desmarcava-se e marcava golo".

Em relação à prisão de Armando Vara, RAP (como é conhecido) lembrou outro condenado que não foi aceite na prisão de Évora, com uma montagem ao som da música dos R.E.M. "Everybody hurts". "Como assim não estou na guest list dos bandidos", brincou. "Portugal é um país em que até para ser preso é preciso uma grande cunha", afirmou.

O programa contou com a participação de um grupo de cante alentejano.

A ida de Assunção Cristas ao Programa da Cristina, na SIC, também foi alvo de humor. "Primeiro, Marcelo ligou para a casa da Cristina, depois o deputado do PAN foi à casa da Cristina, e agora a Cristas foi cozinhar à casa da Cristina. Ou seja, há mais deputados na casa da Cristina do que na casa da democracia", referiu, brincando ainda com o facto de ela ter feito arroz de atum. "O governo de António Costa deixou o país tão pobre que até as pessoas da CDS comem arroz com atum", disse, indicando que Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, já deve estar a comer batatas com pão "a não ser que tenha ido comer a casa do genro".

Desta forma, RAP brincou também com a notícia avançada pela TVI de que o genro do secretário-geral do PCP recebeu alegadamente mais de 150 mil euros por um total de seis contratos para o serviço de limpezas de vidros, trocas de cartazes ou substituição de lâmpadas na Câmara de Loures.

Em relação à crise no PSD, o humorista lembrou as declarações de Luís Montenegro de há um ano que dizia que nunca faria a Rui Rio aquilo que António Costa fez a António José Seguro. "Tecnicamente não fez, porque não ganhou", referiu.

Quanto ao primeiro-ministro, disse que não teve que fazer nada face à crise na oposição e que "tem jeito para deixar arder as coisas"

Mas também não poupou o líder do PSD, dizendo que Rui Rio parece pouco empenhado em defender o partido. Para o provar, mostrou um vídeo de Rio a gritar "PSD, PSD, PSD" e, no fim, acabar a gritar só PS.

RAP lembrou ainda que Francisco Sá Carneiro parece ser a única coisa com a qual todos os membros do PSD concordam, tendo discordado de tudo o resto no Conselho Nacional do partido. Incluindo na votação ou não de braço no ar. Um antigo membro dos Gato Fedorento, José Diogo Quintela, apareceu então como braço no ar.

Além de Quintela, acompanham RAP como argumentistas neste programa Miguel Góis (outro ex-Gato Fedorento), Cláudio Almeida, Manuel Cardoso, Cátia Domingues, Guilherme Fonseca e Joana Marques.

Ler mais

Exclusivos