Gilberto Braga, autor de novelas como "Escrava Isaura" e "Dancin' Days", morre aos 75 anos

Considerado um dos nomes maiores da teledramaturgia brasileira, Gilberto Braga morreu aos 75 anos devido a uma septicemia. Adaptou à televisão "Escrava Isaura" (1976) e foi autor de outras novelas da Globo como "Dona Xepa", "Vale Tudo", "Celebridade" e "Dancin' Days".

Morreu Gilberto Braga, autor brasileiro de novelas como "A Escrava Isaura", "Vale Tudo", "Celebridade" e "Dancin' Days", vítima de uma septicemia, segundo disse ao site G1 o sobrinho. Tinha 75 anos.

De acordo com o sobrinho, Bernardo Araújo, o autor estava internado há uma semana no Hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro, tendo-lhe sido diagnosticada uma infeção generalizada. O sobrinho acrescentou ainda que o tio sofria de "vários problemas de saúde" há alguns anos e que foi submetido a "uma cirurgia à coluna, uma ao coração e uma hidrocefalia", além de apresentar dificuldades para andar.

Considerado um dos nomes maiores da teledramaturgia brasileira, Gilberto Braga foi autor de inúmeras novelas da Globo. Em 1976, adaptou para a televisão o romance "A Escrava Isaura", escrito por Bernardo Guimarães. "Louco Amor", "Rainha da Sucata" (em colaboração), "Pátria Minha", "Anos Dourados", "Paraíso Tropical", "Corpo a Corpo", "O Dono do Mundo" e "Babilónia" - a última que fez para a Globo, em 2015 - são outras novelas que têm a sua assinatura.

Gilberto Braga foi indicado ao Emmy Internacional de Melhor Telenovela com "Paraíso Tropical" (2008).

"O Brasil perde um pouco da magia de grandes personagens"

Tony Ramos, que trabalhou com o autor na novela "Paraíso Tropical" e na série "O primo Basílio" já lamentou a morte de Gilberto Braga.

"Um querido companheiro. Uma pessoa brilhante, inteligente, muito culta. Sinceramente, é a notícia que você não queria ouvir", afirmou o ator ao G1.

Também nas redes sociais são muitas as reações ao desaparecimento de Gilberto Braga, como a da atriz Paolla Oliveira, que fala numa "notícia triste". "O Brasil perde um pouco da magia de grandes personagens, vilãs icónicas e boas reflexões em frente à TV. Obrigada por fazer parte da minha história, Gilberto Braga", escreveu no Twitter.

Já a atriz Camila Pitanga agradeceu tudo o que viveu através da "genialidade" e da "escrita inconfundível" do autor. "Como atriz e espetadora, tenho uma coleção de boas histórias e alegrias", referiu.

"Perdemos mais um grande brasileiro que fazia o Brasil torcer e sonhar", destacou a atriz Susana Vieira.

Zezé Motta recordou que teve o seu primeiro papel de destaque na televisão brasileira com Gilberto Braga. "Graças a ele pude viver a Sónia em 'Corpo a Corpo', personagem que é lembrada até hoje. Foi um divisor de águas. Em 1984, graças a ele falamos de racismo em horário nobre", realçou a atriz no Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG