"Bem Vindo a Casa", uma música de Slow J sobre a quarentena

O músico Slow J tem um tema novo. Esta semana podemos rever o espetáculo "A Perna Esquerda de Tchaikowsky". E aproveitem para visitar o Museu de História de Natural, em Londres.

Slow J canta "Bem Vindo a Casa"

"Eu não estou aqui preso, eu só voltei, aqui eu só ostento o que de dentro de mim vem. Bem vindo a casa ao que de melhor tens," Assim canta Slow J, no seu novo tema, escrito durante a quarentena e inspirado neste período de isolamento social que vivemos. Afinal, como canta o músico português, talvez seja bom este regresso a casa, "onde suponho que te encontresq, quando o mundo todo abana, nós erguemos pontes. Batemos asas porque temos de uns pelos outros. Batemos asas com o que temos quando temos pouco." O tema conta com a colaboração de Holly e Charlie Beats na produção.

Uma bailarina, um piano e uma história para contar

"O meu corpo não foi feito para dançar, mas eu nunca fui capaz de resistir à música. Quando era criança, obriguei o meu corpo a aprender a dançar. Ele obedeceu, mas contrariado." É assim que começa a história da bailarina Barbora Hruskova. Depois de uma carreira de mais de 30 anos, a bailarina deixou os palcos mas antes despediu-se com um espetáculo em que as suas memórias se misturam com as histórias das personagens que interpretou e com as histórias de muitos outros bailarinos. A perna esquerda de Tchaikowsky é um espetáculo de 2015 da Companhia Nacional de Bailado, dirigido por Tiago Rodrigues, com a bailarina Barbora Hruskova e o pianista Mário Laginha. Se não o viram na altura não percam agora esta oportunidade de vê-lo no site da CNB até 17 de abril.

E recordem aqui a história de Barbora Hruskova.

Uma visita ao Museu de História Natural

Falta aquele fator "Uau" quando nos encontramos debaixo do enorme esqueleto de uma baleia ou frente a frente com os ossos de um dinossauro, mas de qualquer forma vale muito a pena visitar o site do Museu de História Natural, em Londres, e explorar todos as suas possibilidades: desde a visita virtual, propriamente dita, até uma explicação pormenorizada do que ali está pela voz inconfundível de David Attenborough, passando o olhar pelas várias coleções. Só a secção dedicada à grande baleia suspensa no Hintze Hall já merecia uma visita (repare-se no som, captado num dia habitual no museu, com muitos visitantes). Além disso, o museu também continua ativo nas redes sociais e tem propostas de atividades para os mais pequenos.

Veja aqui mais sugestões culturais para a quarentena.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG