Academia Americana rejeita "Listen" para candidato aos Óscares

O facto de o filme ser maioritariamente falado em língua inglesa levou à exclusão do filme de Ana Rocha de Sousa. Academia Portuguesa de Cinema vai ter de escolher novo candidato, entre "Mosquito", "Patrick" e "Vitalina Varela"

A Academia Portuguesa de Cinema vai ter de abrir nova votação para escolher um filme candidato de Portugal ao Óscar de melhor filme estrangeiro, depois de a Academia norte-americana de cinema ter rejeitado a proposta inicial de "Listen", o filme de Ana Rocha de Sousa, por este ser maioritariamente falado em língua inglesa.

A decisão da Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS), que o DN já tinha avançado como sendo uma forte possibilidade assim que "Listen" foi indicado como o candidato português, foi transmitida à Academia Portuguesa de Cinema. O International Feature Film Executive Comittee, responsável pela aceitação dos filmes candidatos a melhor filme de língua estrangeira, "considerou a candidatura não elegível e solicita o envio de um novo candidato com a máxima urgência possível", informa esta sexta-feira a Academia Portuguesa de Cinema.

"Apesar das particularidades da narrativa do filme justificarem o recurso a diálogos em língua inglesa, o fator de exclusão prende-se com um dos critérios de elegibilidade que obriga a que pelo menos 50% do filme candidato seja falado em língua não-inglesa", refere a APC em comunicado.

Segundo o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, "ainda na fase de consideração de todos os filmes nacionais potencialmente elegíveis contactámos a AMPAS no sentido de obter esclarecimentos que fundamentassem a decisão de excluir ou incluir o filme de Ana Rocha de Sousa da lista de candidatos em consideração. Em resposta à APC, a AMPAS comunicou que apenas poderiam deliberar sobre a elegibilidade de um filme após o encerramento do prazo regular de submissões, existindo sempre a possibilidade de submeter um novo candidato caso o primeiro fosse rejeitado".

O filme, primeira longa-metragem de Ana Rocha de Sousa que arrecadou seis prémios no Festival de Veneza, retrata a história de um casal imigrante português em Londres, e, além dos diálogos em inglês, tem uma parte considerável de diálogos em português e em língua gestual. "Sabíamos que a aceitação do filme enquanto candidato de Portugal dependeria da flexibilidade do comité internacional da AMPAS e estávamos confiantes de que o contexto particular desta candidatura justificaria a sua aceitação, mas no final isso acabou por não acontecer", refere Paulo Trancoso.

A Academia Portuguesa de Cinema abriu agora uma "votação relâmpago" à meia-noite de 18 de dezembro que terminará às 23h59 de domingo (dia 20), durante a qual os membros da APC votarão no novo candidato de Portugal aos Óscares 2021.

Os filmes em votação são os 3 nomeados pré-selecionados anteriormente: "Mosquito", do realizador João Nuno Pinto, "Patrick" do realizador Gonçalo Waddington e "Vitalina Varela", do realizador Pedro Costa .

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG