Fundações Rainha Sofia e Champalimaud reforçam parceria na investigação

A rainha Sofia visitou hoje as instalações da Fundação Champalimaud, em Lisboa, acompanhada de inúmeros cientistas e de Leonor Beleza.

As fundações Rainha Sofia, de Espanha, e Champalimaud, de Portugal, lançaram hoje, em Lisboa, as bases de uma cooperação mais estreita na luta contra as doenças neuro-degenerativas, nomeadamente Parkinson e Alzheimer.

A visita, durante a manhã de hoje à Fundação Champalimaud, da Rainha Sofia de Espanha, marcou o reforço da cooperação entre as duas instituições científicas, que têm já uma parceria na investigação da doença de Parkinson.

A Rainha Sofia, que visitou detalhadamente as instalações com a presidente da Fundação Champalimaud, Leonor Beleza, fez-se acompanhar, na deslocação a Lisboa, de um grupo de cientistas.

Os investigadores irão reunir-se com cientistas da Fundação Champalimaud para desenvolverem programas de investigação conjuntos e simpósios científicos internacionais, a realizar em Lisboa e Madrid.

No final da visita, em declarações aos jornalistas, Leonor Beleza destacou o papel da Fundação Rainha Sofia na investigação das doenças neuro-degenerativas, sublinhando o papel da instituição, criada em 1977, na luta contra o Alzheimer.

Leonor Beleza adiantou que a fundação Rainha Sofia trata e acolhe doentes de Alzheimer e faz também investigação para detetar os sinais precoces da doença.

"Eles têm projetos pioneiros nessas áreas e interesse em colaborar, eles com aspetos mais clínicos e com maior experiencia com doentes, nós com mais investigação básica na área das doenças neuro-degenerativas, que é relevante para saber como é que essas doenças aparecem e se desenvolvem", disse Leonor Beleza.

O reforço da cooperação entre as duas instituições - que têm já a funcionar um projeto de investigação conjunta na investigação da doença de Parkinson - poderá incluir o intercâmbio de cientistas entre os dois centros, bem como a realização de encontros regulares.

"Esta visita significa para os cientistas uma possibilidade de se encontrarem e estabelecerem projetos comuns de interesse", adiantou Leonor Beleza, considerando que as duas instituições têm tudo a ganhar em trabalharem juntas.

"Instituições que têm recursos humanos e técnicos relativamente raros e difíceis de juntar podem produzir muito mais trabalhando em conjunto", disse.

A Rainha Sofia, que chegou segunda-feira a Lisboa, iniciou a visita com um encontro com Leonor Beleza, tendo visitado de seguida o centro clínico e o laboratório de neurociência da Fundação Champalimaud.

Ao final da manhã manteve um breve encontro com cientistas e médicos espanhóis que trabalham na fundação portuguesa.

Durante a tarde, cientistas das duas fundações realizam um encontro científico para estabelecer um programa de ação conjunto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG