Menos de metade de animais selvagens do que há 40 anos

A ação do homem levou ao desaparecimento, em 40 anos, de mais de metade dos animais selvagens do planeta, escreve a ONG WWF no seu relatório Planeta Vivo 2014 agora divulgado.

Entre 1970 e 2010, o índice Planeta Vivo, que mede a evolução de 10.380 populações de 3038 espécies - mamíferos, pássaros, répteis e peixes - caiu 52%.

Uma tendência que "não tem qualquer indício de abrandamento", segundo o documento da WWF, cuja 10ª edição é citada pela AFP.

As zonas mais afetadas são a América Latina e a Ásia-Pacífico. As espécies mais atingidas são as água doce (76%), enquanto as espécies terrestres e marinhas diminuíram 39%.

Numerosos peixes e outros animais de rio desapareceram por completo da zona do Coorong, sul da Austrália, onde a grande utilização de água para irrigação aumentou a salinidade das águas.

Em África, a população de elefantes - que em 1984 apenas contavam 7% do seu máximo histórico - o número de indivíduos caiu 60% entre 2002 e 2011 devido à caça.

A contribuir para os 52% de queda medida está também uma diferente forma de cálculo relativamente aos anos anteriores, com vista a representar de forma mais rigorosa as alterações nos ecossistemas mundiais.

Quanto às causas do declínio de vida animal no planeta, a organização não governamental aponta a perda ou degradação de habitats por ação humana (agricultura, desflorestação, irrigação, construção de barragens hidroelétricas...), a caça, a pesca excessiva e as alterações climáticas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG