Exclusivo A todo o vapor na boleia do prodígio de ferro de 1772

No século XVIII, um veículo movido a vapor evoluiu na capital francesa. Paris assistia à primeira apresentação pública de uma viatura terrestre com propulsão autónoma da força animal ou humana. A Fardier do francês Cugnot serviria no apoio a ações militares. Um século antes, na China, um jesuíta flamengo surpreendera o imperador com um protótipo de veículo a vapor.

História, literatura, política e governo, astronomia e fenómenos naturais, artes e geografia constroem a matéria dos milhares de secções incluídas naquela que é a maior enciclopédia chinesa. A compilação das 800 mil páginas que acomodam mais de 10 milhões de caracteres da Grande Enciclopédia Imperial, ocupou 25 anos de labor, entre 1700 e 1725. Empresa a que não foi alheio o Imperador Kangxi, o terceiro da dinastia Qing, homem que reinaria sobre a China por mais de 60 anos, consolidador das fronteiras do gigante asiático e promotor da cultura e da ciência. Kangxi teve a seu lado, por perto de duas décadas, o padre jesuíta Ferdinand Verbiest, nascido em 1623, nos territórios da Flandres. Verbiest, a sua fé católica, mas também a ciência que praticava na astronomia e matemática, partiram em 1658 de Lisboa para Oriente junto com um grupo de missionários.

Dois anos após a chegada à China onde encabeçou uma missão na província de Shanxi, no norte do país, Ferdinand assumiu o cargo de diretor do Observatório de Pequim. Em 1669, após anos de duras provações fruto da perseguição aos jesuítas, Verbiest viu-se nas graças do imperador Kangxi. O europeu fora convocado para uma competição astronómica com três provas, uma delas, a de calcular as posições relativas e absolutas do sol e dos planetas numa data precisa. Kangxi procurava com a competição, confrontar os avanços da astronomia europeia face à chinesa. Os cálculos precisos de Ferdinand Verbiest garantiram-lhe a confiança do imperador, assim como a oportunidade de retificar o calendário chinês e a de publicar, em 1674, um mapa mundo (o Kunyu Quantu), planisfério que detalhou todos os territórios até então descobertos e a respetiva descrição das diferentes partes da Terra. Dois anos antes, em 1672, Ferdinand terá apresentado frente ao imperador Kangxi aquele que é tido como o primeiro veículo movido a vapor. O engenho, com não mais de 65 cm de comprimento, ter-se-á movimentado autonomamente cerca de uma hora. Para deslocar o seu brinquedo a vapor, Verbiest socorreu-se do princípio de movimento da Eolípila, artefacto desenvolvido no século II a.C. por Heron de Alexandria, geómetra grego. Em síntese, uma esfera oca, abastecida por um recipiente com água aquecida, produz vapor expelido por dois tubos curvos que originam um movimento circular.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG