Jovem condenado a dois anos de prisão efetiva por roubar bicicletas em Lisboa

Pela primeira vez tribunal aplica uma pena de prisão efetiva num caso de furto relacionado com a rede de bicicletas partilhadas de Lisboa: Gira. Jovem condenado a dois anos.

Um jovem foi condenado a dois anos de prisão efetiva por furto e vandalismo das bicicletas da rede Gira. O tribunal condenou um outro elemento a pena de prisão suspensa, beneficiando do facto de não ter antecedentes criminais.

Com 18 e 19 anos o duo tinha sido detido pela PSP no início de setembro na companhia de um menor também identificado. Os três estavam a furtar bicicletas. Nesta ação a polícia recuperou três bicicletas no valor de 2420 euros.

No final de agosto, a Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL) divulgou uma nota em que referia que entre junho e agosto tinham sido roubadas 189 bicicletas da rede Gira e detetadas 54 tentativas de furto no mesmo período.

Além das bicicletas, a EMEL tem verificado danos em parquímetros e nas docas da rede Gira. Segundo a empresa, os espaços mais danificados são os de Campo Grande, Entrecampos, Cais do Sodré e Jardim de Santos.

Nessa nota a empresa municipal frisou que os atos de vandalismo "aos parquímetros dura há bastante tempo, há anos... É recorrente nos mais antigos, desde que foram instalados. São os parquímetros mais vulneráveis", salientou fonte da EMEL, realçando que "as pessoas metem papéis no sítio das moedas", o que encrava os equipamentos.

Exclusivos