EMEL dá 5 euros a quem não teve multas este ano

Os primeiros 20 mil condutores que se registem a partir das zero horas do próximo dia 25 e que não tenham multas por estacionamento vão receber voucher de cinco euros como prémio

A EMEL vai dar 20 mil vouchers de cinco euros cada aos condutores que não tenham sido multados em Lisboa por mau estacionamento durante este ano. A iniciativa #Bem_Estacionados vai permitir que no dia 25 deste mês os automobilistas acedam ao site www.bemestacionados.pt e façam um registo indicando os seus dados e a matrícula de um carro.

Caso não tenham sido multados vão receber cinco euros na aplicação ePark que permite pagar o estacionamento na cidade à distância com o telemóvel.

Esta iniciativa está disponível para todos os condutores mesmo os que não trazem o carro diariamente para Lisboa e até para quem more longe da capital. Caso entre no site no próximo dia 25 e ganhe os cinco euros - após dar os seus dados e a matrícula do carro -, o automobilista tem depois de descarregar a aplicação ePark e seguir as instruções para lhe ser depositado o dinheiro que tem obrigatoriamente de gastar em estacionamento na capital.

A partir desta sexta-feira a Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa já tem na rua uma ação de sensibilização direcionada para o estacionamento com duendes a colocar fitas em carros que estejam bem estacionados. Também neste caso os condutores serão premiados com um voucher.

No final deste ano a EMEL prevê ter 78 mil lugares tarifados e de residentes na cidade. Num projeto de colocar zonas de estacionamento pago em todas as freguesias de Lisboa, a empresa tem como objetivo criar em 2019 mais 20 mil lugares - a próxima zona a receber os parquímetros será Telheiras, em janeiro. Em 2020 vão surgir mais 20 mil lugares pagos e depois em 2021 e 2022 mais 10 mil em cada ano.

Zonas gratuitas

Há, no entanto, alguns lugares em Lisboa onde ainda é possível estacionar sem pagar. É o caso das ruas Dr. João Couto e Paulo Renato (em Benfica); nas ruas Fernando Namora, Francisco Gil, António Quadros, Padre Américo, Professor Jorge Campinos, todas as artérias na Quinta de Santo António, Rua Padre Américo, Azinhaga da Torre do Fato, bem como a zona à volta da Escola Alemã (na zona de Telheiras/Lumiar).

Também junto ao Estádio de Alvalade - ruas Francisco Stromp, José Travassos e Alfredo Trindade - ainda não se paga. Em Alcântara a rua Luís de Camões também está livre de parquímetros, tal como as ruas Dom Lourenço de Almeida, Bartolomeu Dias, dos Jerónimos, Vila Correia, Rua João de Bastos, Calçada Galvão (ao lado do Jardim Botânico Tropical).

Na freguesia de Santa Clara, as ruas Fernando Cabral, Alberto Barbosa e Alexandre Ferreira também não se paga, tal como acontece no Bairro da Encarnação e nas ruas Cidade de Bolama, Cidade de Bissau e Vila de Catió, nos Olivais

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.