Waiting for B(eyoncé) no Queer Lisboa

No quinto dia do festival Queer Lisboa 20, o destaque são os fãs da Beyoncé que esperaram 57 dias à porta do Estádio Morumbi, São Paulo, para ver a cantora atuar.

Vai ser exibido na Sala 3 do Cinema São Jorge, amanhã, às 21.30, o documentário do realizador Paulo César Toledo - que estará presente na sessão - que mostra a persistência e amor dos fãs da cantora Beyoncé.

Waiting for B. remete para o 20 de julho de 2013, dia onde um grupo de admiradores da Beyoncé montou a sua tenda junto ao Estádio do Morumbi, em São Paulo, local onde a artista iria atuar 57 dias depois. À medida que os dias iam passando, os campistas aumentaram também, chegando a uma centena de pessoas .

Paulo César Toledo e Abigail Spindel resolveram observar, acompanhar e lidar com os jovens que esperavam ansiosamente nas ruas do estádio criando, assim, um retrato social que transmite a realidade e o dia-a-dia dos fãs, muitos deles jovens vindos de famílias desfavorecidas.

A Sala Manoel de Oliveira (Cinema São Jorge) também tem programação para a noite de amanhã. Às 22.00 é exibido La Belle Saison, filme premiado no Festival de Locarno, o ano passado. Realizado por Catherine Corsini, a história, para além de ser de amor entre duas mulheres, é uma homenagem ao movimento feminista dos anos 70 em Paris, à luta contra a sociedade retrógrada e à defesa dos direitos da mulher.

A meio da tarde, às 17.00, o São Jorge já terá muito movimento: é exibido o Yes, We Fuck!, de António Centeno e Raúl de la Morena, um filme que aborda a sexualidade de pessoas com diversidade funcional; haverá uma Masterclass em português do professor e crítico brasileiro Rodrigo Gerace, Cinema Explícito - Obscenidades Cinematográficas, onde objetivo é "revelar o arquivo histórico deste "primeiro cinema", em filmes pornográficos transgressores, questionando reflexões sobre erotismo, pornografia e obscenidade", segundo o site do festival.

A Cinemateca Portuguesa não é esquecida. Terá uma das mais bem-sucedidas e menos convencionais adaptações de Shakespeare, The Tempest (1979), do cineasta e pintor inglês, Derek Jarman, às 21.30. Um pouco antes, às 19.00 na Sala Félix Ribeiro, podem assistir-se a sete curtas-metragens que o cineasta realizou entre 1972 e 1982, como Sebastian Wrap (1975), Sulphur (1973) e Sloane Square (1974).

O Queer Lisboa 20 é constituído por exibições de propostas cinematográficas de temática gay, lésbica, transgénero, bissexual e transsexual e com competições para Melhor Longa-Metragem, Curta-Metragem, Documentário, Filme de Escola e Queen Art.

Acaba no sábado, dia 24 de setembro, com exibição de filmes no cinema São Jorge e na Cinemateca Portuguesa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG